Ponte do São Francisco apresenta rachaduras e asfalto cedendo

A ponte José Sarney, popularmente conhecida como Ponte do São Francisco, apresenta rachaduras e o asfalto está cedendo na cabeceira. O alerta foi feito por especialista, que recomendou intervenção para evitar danos mais severos. A estrutura foi construída na década de 1970.

“A situação não oferece grandes riscos, mas precisa ser melhor avaliada e aponta as possíveis causas do problema”, diz o engenheiro especialista em trânsito, Francisco Soares.

Ele explica que a falta de manutenção adequada acaba sendo uma das principais causas de acidentes, e é uma situação observada tanto na capital quanto em rodovias que cortam o estado.

Preso empresário apontado pela morte da esposa em Dom Pedro

O empresário Rony Veras Nogueira, de 41 anos, suspeito de ter assassinado a tiros a sua esposa, Ianca Vale do Amaral, de 26 anos, em Dom Pedro, cidade localizada a 324 km de São Luís, foi preso na noite dessa segunda-feira (2). na zona rural do município de Vargem Grande, a 172 km da capital.

De acordo com a polícia, o suspeito estava em um veículo com a sua irmã e um advogado quando foi localizado e detido pela Polícia Civil. O empresário, que tinha sua prisão preventiva decretada desde essa segunda, será transferido nas próximas horas para São Luís, onde vai ser apresentado no Plantão da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) para os procedimentos cabíveis.

O crime aconteceu na noite de sábado (30). De acordo com a delegada Renata Lins, que está à frente das investigações, o crime foi motivado por ciúmes. O casal discutiu em casa e, em seguida, a vítima foi alvejada com tiros na perna, na cabeça, tórax e no braço. Ianca Vale não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.

Após o crime, Rony Veras se escondeu em um dos cômodos da casa até a chegada da Polícia Militar. O empresário conseguiu fugir pelos fundos da residência. Ianca Vale e Rony Veras haviam se casado em 2021. Juntos, eles têm uma filha, de um ano. O suspeito é proprietário de um posto de combustível e uma churrascaria na cidade de Dom Pedro.

MA: Polícia Civil interroga testemunhas sobre assassinato de líder quilombola

A Polícia Civil dá continuidade às investigações sobre o assassinato do líder quilombola Edvaldo Pereira Rocha, com oitiva de testemunhas, novas diligências e análise de provas técnicas. O caso ocorreu na última sexta-feira, quando a liderança foi morta a tiros. Ele era presidente da Associação de Quilombolas do povoado Jacarezinho, no município de São João do Sóter. As investigações são conduzidas pela Delegacia Regional de Caxias e têm acompanhamento das secretarias de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) e de Igualdade Racial (Seir).

O titular da Regional de Caxias, delegado Alcides Neto, explicou que os trabalhos estão em curso e não pararam desde o dia do ocorrido. “Colhemos informações sobre o caso e que serão mais aprofundadas, após as oitivas das testemunhas. Também solicitamos exames periciais técnicos. O trabalho é intenso para que tenhamos, o quanto antes, a identificação dos envolvidos neste crime”, frisou.

Com os interrogatórios, a polícia pretende identificar envolvidos no caso e outras lideranças da comunidade que tenham recebido ameaças. A polícia analisa também estojos e projéteis de arma de fogo coletados no local e já repassados ao Instituto de Criminalística (ICRIM).

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA) mantém equipes em São João do Sóter para garantir agilidade nas investigações e o mais breve possível, identificar os suspeitos. Foi reforçado ainda o policiamento à comunidade da região, para prevenir novos ataques.

Ação

Comitiva de secretários de Estado da SSP-MA, Sílvio Leite, da Sedihpop, Amanda Costa e da Seir, Gerson Pinheiro, também estiveram na região, no fim de semana, acompanhando o andamento das apurações policiais.

A Sedihpop atua por meio da Comissão Estadual de Prevenção à Violência no Campo e na Cidade e na ativação do Programa Estadual de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos (PPDDH). O PPDDH atua na garantia da continuidade do trabalho de lideranças que atuam pelos direitos humanos e que estejam sob ameaças.

As secretarias de Governo vão garantir também acesso às políticas de proteção específicas.

Prefeitura convoca professores para voltar ao trabalho

A Prefeitura de São Luís convocou os professores em greve para retornarem às salas de aula, nesta terça-feira (26). O Sindicato dos Profissionais do Ensino Público de São Luís (Sindeducação) considerou que a medida tem o objetivo de pressionar e desmobilizar a categoria. O comunicado também orienta os gestores das escolas para que façam ligações aos professores e comuniquem o retorno às salas de aula.

O Sindeducação frisou que “como em todos os movimentos paredistas realizados pela categoria, as faltas serão objeto de negociação e serão retiradas mediante a compensação, conforme decisão já consolidada no Superior Tribunal Federal (STF)”.

O sindicato respondeu à Prefeitura de São Luís, após ação que autorizou o corte de ponto e processo administrativo disciplinares contra os professores grevistas. Segundo a assessoria jurídica da entidade, esta determinação não cabe poder judiciário. A decisão de acatar o pedido do município, partiu do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA). A assessoria do Sindeducação diz que “tais medidas são de competência da gestão municipal”.

“Desse modo, não procede a informação de que teria havido autorização do Poder Judiciário para que a Prefeitura de São Luís promovesse o corte de ponto dos professores e professoras que aderiram à greve”, pontuou o sindicato, em comunicado. A entidade frisou ainda que, “qualquer decisão neste sentido, configura retaliação ao legítimo direito de greve e decorre, única e exclusivamente, de decisão política do prefeito Eduardo Braide”.

A entidade pontuou ainda que “a greve é legítima e está mantida”. Hoje, completam nove dias de paralisação dos professores.

Segurança Pública divulga balanço da Operação Integrada Tiradentes

Mais de 23 mil abordagens a pessoas e veículos, condução de mais de 360 suspeitos, além da apreensão de armas, drogas e veículos são o saldo da Operação Integrada Tiradentes. Os números foram divulgados pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), em coletiva nesta terça-feira (26), na sede do órgão, no bairro Vila Palmeira. A ação foi realizada em todo o Maranhão, no período de 21 a 24 deste mês, com objetivo de prevenir e combater criminalidades diversas.

O trabalho teve início no município de Imperatriz e se estendeu por todo o estado. As polícias Civil e Militar, e os demais órgãos do sistema de segurança atuaram de forma integrada com ações preventivas e ostensivas. Foram realizadas barreiras policiais para as abordagens a veículos e pessoas, tendo como foco as vias de maior movimentação; policiamento em áreas mapeadas como de maior risco; monitoramento de pontos suspeitos de tráfico de drogas; além do cumprimento de mandados de prisões expedidos pela justiça.

“Os dados são muito satisfatórios para a Segurança Pública. Alcançamos o objetivo no que refere à prisão de suspeitos envolvidos em crimes diversos e na apreensão de armas e drogas. É muito importante que o sistema de segurança esteja nas ruas, de maneira visível e acessível, para garantir a segurança dos cidadãos”, frisou o titular da SSP-MA, coronel Silvio Leite.

Durante a operação a polícia contabilizou, na capital e interior, 23.434 abordagens a pessoas e em veículos. Ainda, a condução de 387 pessoas, sendo 20 menores; cumprimento de nove mandados de prisão; e 149 prisões em flagrante. Em volume de drogas, somaram 1.680g apreendidos. Em armas, a ação contabilizou a apreensão de nove simulacros e de 70 armas, sendo 46 de fogo. No que refere a ocorrências com veículos foram 735 situações, sendo que 77 foram recuperados e 36 apreendidos. Integrando o trabalho, batalhões de Polícia Militar nos municípios promoveram 211 operações paralelas, somando com as atividades da Operação Integrada Tiradentes.

Participaram da coletiva, o delegado geral da Polícia Civil, Jair Paiva; o comandante geral da Polícia Militar, coronel Emerson Bezerra; o comandante geral do CBMMA, coronel Célio Roberto de Araújo; o diretor do CTA, coronel Luiz Magno; e a Perita Geral da Perícia Oficial do Maranhão, Anne Kelly Veiga.

Integração

O trabalho contou com equipes da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar (CBMMA), Centro Tático Aéreo (CTA) e da Perícia Oficial. Participaram ainda, equipes do Detran-MA, que durante a operação orientaram condutores de veículos sobre o risco de acidentes de trânsito e a importância do respeito à legislação.

A Operação Integrada Tiradentes vai continuar, com o reforço de polícias nas ruas, mais incursões nos bairros e monitoramento nas grandes avenidas. Assim como ocorreu na primeira etapa, a ação vai alcançar todos os 217 municípios do Maranhão. “Vamos intensificar as abordagens, as ações diretas nos bairros e avenidas de maior movimento e tornar ainda mais coesa a Segurança Pública”, reforçou o secretário Sílvio Leite.

São Luís: Professores da rede pública municipal iniciam greve

Professores da rede pública municipal de São Luís deram início, nesta segunda-feira (18), a uma greve geral da categoria. A paralisação das atividades dos docentes teve início por volta das 8h, com concentração de integrantes da categoria na Praça Deodoro, no Centro da capital.

Segundo o Sindicato dos Profissionais do Ensino Público de São Luís (Sindeducação), o movimento grevista foi aprovado pelos professores no último dia 8 de abril, após a Prefeitura de São Luís oferecer reajuste de 5%, um valor, segundo o Sindicato, muito abaixo do que a categoria reivindica em sua campanha salarial, que é atualização do piso nacional de 33,24% para docentes do nível médio, e a repercussão em toda tabela salarial do magistério, com 36,56% de reajuste para todos os professores com nível superior.

O reajuste de 33,24% foi aprovado pelo governo federal, no dia 4 de fevereiro deste ano, com isso, o piso passou de R$ 2.886 para R$ 3.845.

De acordo com o Sindeducação, os professores da rede municipal de ensino estão há 5 anos sem aumento de salário, e a proposta feita pela Prefeitura de São Luís, de reajustar em apenas 5% os salários, é considerada ‘imoral’ pela categoria.

Ainda segundo o sindicato, além de rejeitarem a proposta de 5% da prefeitura, os professores também assumiram o compromisso de lutar por escolas que ofereçam condições dignas para toda a comunidade escolar.

“Foi somente por meio de muita mobilização realizada pelo sindicato e categoria, que as reformas nas escolas foram iniciadas e, ainda assim, há muito para ser feito, pois, menos de 50%, das 258 escolas foram reformadas. As aulas na Zona Rural de São Luís, por exemplo, iniciaram sem transporte escolar, a alimentação oferecida para os alunos necessita de mais qualidade, entre outras demandas. O Sindeducação também organiza o movimento grevista para pedir pelo fim do assédio moral e mais transparência no orçamento e as contas da Prefeitura de São Luís”, diz um trecho da nota do sindicato sobre a greve da categoria.

O que diz a Prefeitura de São Luís

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) afirmou que a atual gestão recebeu as escolas sem condições mínimas de funcionamento durante a pandemia. Por causa da situação, o município “deu início ao maior programa de reformas de escolas de São Luís”.

Na nota, a gestão municipal disse que, de todas as unidades, em apenas 1 ano e 3 meses, 50% já foram totalmente reformadas e as demais passaram por intervenções necessárias para garantir o retorno das aulas, que é uma prioridade para este momento.

Ainda de acordo com a Semed, “todas as escolas serão totalmente reformadas pelo programa Escola Nova”.

Em relação ao transporte escolar, a Semed afirmou que a atual gestão não encontrou contrato vigente para a realização do serviço, uma vez que o único processo instaurado pela gestão anterior foi suspenso por determinação da Justiça. Coube à atual gestão regularizar o serviço do transporte escolar, o que já foi realizado.

Quanto à merenda escolar, a Secretaria Municipal de Educação destaca que até o momento não recebeu nenhuma queixa ou reclamação por parte da comunidade escolar.

Por fim, a Semed disse que agradecia aos professores que estavam no momento em sala de aula e afirmou lamentar a paralisação de parte da categoria, promovida pelo Sindeducação, pois a diretoria do sindicato esteve reunida com o município no último dia 12 de abril, onde foi informado que “o município apresentará uma nova proposta, dentro da sua realidade financeira, nesta terça-feira (19)”.

MA: Inmet emite alerta amarelo para chuvas

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta amarelo de perigo potencial de chuvas em parte das regiões norte, sul, centro e leste do Maranhão., neste sábado (16) e domingo (17). Há previsão de chuva entre 20 a 30 milímetros por hora ou até 50 milímetros por dia, com ventos intensos oscilando entre 40 a 60 km/h. Segundo o Inmet, há baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores e alagamentos.

A previsão do tempo para este feriado, nos quatro municípios da Grande Ilha de São Luís, é de sol com muitas nuvens durante o dia. Entretanto, há chances de chuva a qualquer hora. Neste sábado (16), a previsão também é de sol com nuvens, períodos nublados e chuva a qualquer hora. A temperatura máxima pode chegar a 30° com chance de 90% de chuva.

No domingo (17), a previsão é de sol com algumas nuvens e chuva passageira durante o dia. A noite, o tempo fica mais firme e há chance de 90% de chuva. As temperaturas podem variar entre 24° e 30°.

A atenção é redobrada em municípios com histórico de alagamentos e  enchentes, por conta das chuvas, a exemplo de Trizidela do Vale, Pedreiras e Imperatriz. As fortes chuvas já fizeram 32 municípios decretaram situação de emergência no estado. Equipes do Corpo de Bombeiro monitoram estas áreas, em apoio às ações da Defesa Civil nos municípios.

O instituto orienta que, em caso de rajadas de vento, a população não se abrigue debaixo de árvores, devido ao risco de queda e de descargas elétricas. Além disso, evite aparelhos eletrônicos ligados à tomada e em caso de risco, procure a Defesa Civil no telefone 199 e o Corpo de Bombeiros no 193.

São Luís: Presos estrangeiros com mais de 440 mil em dinheiro

Dois estrangeiros foram detidos, em flagrante, pela Polícia Federal, em São Luís. Eles são suspeitos da prática dos crimes de moeda falsa e de possuir itens usados para falsificação de moeda. Com eles, a polícia apreendeu o equivalente a R$ 448 mil.

O dinheiro apreendido estava dividido em 4.488 notas de 100 reais falsificadas. A polícia apreendeu ainda, produtos químicos que são utilizados na falsificação, além de 12.180kg de papel em branco com as mesmas medidas da cédula, que seriam pigmentadas.

As notas falsas foram consideradas de alta quantidade. A polícia identificou ainda, indícios da existência de uma estrutura organizada de falsificação, que poderia ocasionar prejuízos irreparáveis, não só aos cidadãos e empresas que recebem as notas falsas, mas também à credibilidade do sistema financeiro nacional.

A prisão ocorreu após denúncia de que os estrangeiros teriam vindo de São Paulo para São Luís, com o intuito de vender as cédulas e de contratar pessoas para fazerem parte do esquema criminoso. A Polícia Federal acompanhou a movimentação dos suspeitos até as abordagens que levaram às prisões e apreensões.

PRF: Operação Semana Santa segue em rodovias do Maranhão

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realiza, nesta quinta-feira (14), a Operação Semana Santa 2022. A ação é executada todos os anos, por conta do aumento do fluxo nesta vias e a grande possibilidade de acidentes.

Policiais rodoviários federais estão monitorando as BRs que cortam o estado, no sentido de evitar acidentes. Segundo o órgão, ocorrências nestes período são bastante comuns, em razão do grande fluxo de veículos para o interior do estado.

Durante os quatro dias de atividades, as equipes da PRF estarão em pontos estratégicos das BR’s que cortam o Maranhão. Foram intensificadas as ações de fiscalização, focando principalmente, ocorrências relacionadas a condutas de ultrapassagens proibidas, embriaguez ao volante, ao não uso do cinto de segurança e demais dispositivos de retenção obrigatórios, ao uso do celular ao volante, entre outros.

A Operação Semana Santa prossegue até domingo (17).

Chuvas: Maranhão terá período mais intenso este mês, aponta meteorologia

O mês de março foi marcado por chuvas intensas em todo o Maranhão e o cenário deve permanecer o mesmo para este mês de abril. É o que alerta boletim divulgado pelo Núcleo de Meteorologia Geoambiental da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). Segundo o levantamento, a região norte do estado é a que será mais atingida pelas chuvas intensas.

O boletim mostra que nas regiões centro e norte choveu um pouco mais que no sul. Os meteorologistas concluíram que março foi um mês com chuvas acima da média climatológica, em torno de 50% a mais. Já na região central do Estado, esse volume ficou em torno da média climatológica; e na região sul, um pouco abaixo da média.

As fortes chuvas atingiram diversos municípios e a região norte é a que vive o maior pico do período, porém, os temporais têm sido frequentes em todo o estado. De acordo com o Corpo de Bombeiro Militar do Maranhão, a partir de dados da Defesa Civil nos municípios, totalizam 35 cidades que decretaram estado de calamidade pública, por conta das intensas chuvas.

Em Trizidela do Vale, o nível do rio Mearim subiu e 426 famílias estão em abrigos públicos. No município de Pinheiro, o rio Pericumã transbordou e um imenso lago isolou fazendas de criação de búfalos. Em São Luís, as chuvas dos últimos dias provocaram alagamentos em avenidas de vários bairros.

Segundo o núcleo de meteorologia da UEMA, as chuvas continuarão intensas, principalmente, nas cidades que da região do centro-norte. As previsões para este mês de abril na parte norte, é de chuvas acima da média climatológica – 430 milímetros; na região central, devem ficar em torno de da média histórica; e na região sul, um pouco abaixo da média climatológica.