Cassino em que Gabigol foi detido cobrava R$ 40 mil em cadeira no jogo

Para sentar em uma mesa do cassino clandestino, onde o atacante Gabigol e MC Gui foram flagrados no domingo (14), era preciso pagar R$ 40 mil. A afirmação é do deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP). Segundo o parlamentar, a informação foi revelada a ele por um profissional que comanda uma mesa de jogo no cassino.

No cassino clandestino localizado na Vila Olímpia, em São Paulo, havia cerca de 200 pessoas. Alexandre Frota participou da ação policial que interrompeu o evento no local. Em entrevista ao LANCE!, o parlamentar contou que recebeu mais de 50 denúncias de que havia uma suposta festa LGBT no terceiro piso do prédio.

Ainda conforme o deputado, Gabigol teria passado mais de meia hora “escondido” no local. “Depois de 40 minutos é que encontramos o Gabigol escondido debaixo de uma mesa, com um terno branco na cabeça e duas mulheres na frente dele, mais dois amigos, o que impedia qualquer pessoa de ver”, contou Frota.

Em entrevista à emissora, Gabigol reconheceu que faltou sensibilidade da parte dele por ter participado do evento. Convidado por amigos para um jantar no último dia de sua folga, ele conta que estava usando máscara e disse que estava perto de sair quando os policias chegaram.