Chuvas deixam prejuízos em vários bairros da capital; previsão é de mais chuvas no mês

Quarta-feira feira de chuvas intensas e prejuízos em diversos áreas da capital já se apresentam. Os estragos vão desde alagamentos, erosão de vias, dificuldades de acesso e engarrafamentos. O tempo, que amanheceu chuvoso, se mantém instável na parte da tarde, deixando população e órgão de defesa em alerta.

No Anel Viário, por conta das chuvas, um monumento caiu. A ocorrência foi durante a madrugada e não havia ninguém próximo no momento da queda. Na Avenida Vitorino Freire, condutores tiveram dificuldades de passar, pois com as fortes águas, o asfalto cedeu em alguns pontos. Na Vila Maranhão, zona rural da capital, parte do acostamento foi tomado por um buraco que se abriu na via.

No Residencial Primavera ruas ficaram alagadas. Dificultando e até impedindo a mobilidade de moradores. Equipes da Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania (Semusc) conversaram com moradores prejudicados e se colocou à disposição para auxiliar na retirada das famílias, em caso de emergência ou solicitação.

As fortes e demoradas chuvas se manifestam pela interferência da zona de Convergência Intertropical (ZCIT) – principal causador de chuva e neste período do ano, se concentra sobre o Maranhão, segundo o Laboratório de Meteorologia da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA).

Conforme esta zona se instala, a tendência é que o período fique mais chuvoso, o que ocorre em fevereiro. Desta forma, o órgão aponta que o estado está no período chuvoso e este é um padrão normal para a época. A previsão é que chova ainda mais em março e abril.