MINSK, BELARUS - DECEMBER 29, 2020: A medical worker holds a component of the Russian Gam-COVID-Vak (Sputnik V) vaccine against COVID-19 in a city hospital. The first batch of the Russian Sputnik V vaccine has arrived in Belarus; a mass vaccination campaign is starting in the country. Stringer/TASS.No use Russia.

Compra de 10 milhões de vacinas Sputnik V são negociadas pelo Brasil

O Ministério da Saúde anunciou nesta sexta-feira (05) a negociação de compra de 10 milhões de doses de vacina contra o coronavírus Sputnik V. O imunizante é desenvolvido pelo Instituto Gamaleya, na Rússia. O interesse de aquisição surgiu após reunião com representantes do laboratório União Química, farmacêutica responsável no Brasil pela vacina russa.

A decisão de avanço das negociações surgiu de acordo com o Ministério da Saúde, depois da Anvisa aceitar o novo protocolo com a simplificação do processo de concessão de uso emergencial e temporário de vacinas, dispensando a realização, no Brasil, de estudos clínicos da fase 3.

De acordo com secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, compra da vacina também está condicionada ao custo do imunizante.

“Iremos contratar e comprar as 10 milhões de doses se o preço for plausível, e efetuaremos o pagamento após a Anvisa dar a autorização para uso emergencial da Sputnik V, fazendo a disponibilização imediatamente aos brasileiros”, destacou Franco.

Aqui no Brasil, o imunizante será fabricado no Distrito Federal sob a responsabilidade da farmacêutica União Química.

Pelo cronograma baseado no Ministério da Saúde o Brasil receberia 400 mil doses uma semana após a assinatura do contrato de compra. Outros dois milhões estariam no país cerca de 30 dias depois e mais 7,6 milhões ao longo do segundo e terceiro meses.

Elcio Franco, endossa ainda que há estudo pelo Ministério em adquirir a vacina produzida pela União Química no Brasil.

“Futuramente, a depender dos entendimentos que tivermos com a União Química, interessa-nos também adquirir a produção que a empresa vier a fazer no Brasil dessa vacina”, disse Franco.