Em Imperatriz, adolescente ataca padastro para livrar mãe de agressão física

Uma jovem de 16 anos aplicou golpes de tesoura no padastro, no momento em que este agredia a mãe dela. O caso ocorreu no bairro Bonsucesso, em Imperatriz, na noite desta segunda-feira (2).

Segundo a adolescente, as agressões eram frequentes e já havia pedido ajuda às entidades de segurança. Após o ataque ao padastro, a jovem chamou a Polícia Militar e explicou a situação, declinando o motivo de sua atitude.

Na briga, o padastro agrediu a mãe da jovem no rosto. Ferido pela enteada, ele foi encaminhado ao hospital para receber os devidos atendimentos. Os três envolvidos – filha, mãe e padastro –foram encaminhados ao Plantão Central da Polícia Civil, para prestarem depoimento e a arma branca usada no ato, foi apreendida.

Se comprovadas as agressões contra a companheira, o padastro pode responder, entre outros crimes, por violência doméstica. De acordo com o art. 5º, da Lei Maria da Penha, violência doméstica e familiar contra a mulher é ‘qualquer ação ou omissão baseada no gênero, que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial’.

Pela lei Maria da Penha, estão previstos cinco tipos de violência doméstica e familiar contra a mulher: física, psicológica, moral, sexual e patrimonial. A legislação aumenta o tempo máximo de detenção previsto de um para três anos; a lei prevê ainda, medidas que vão desde a remoção do agressor do domicílio à proibição de se aproximar da mulher agredida.