Foto: Gilson Teixeira

Entidades médicas do Maranhão lançam manifesto em meio ao avanço da Covid-19

Entidades médicas do Maranhão lançaram nesta segunda-feira (15) um manifesto diante da atual situação da pandemia do novo coronavírus no Estado. Em coletiva de imprensa, representantes do Conselho Regional de Medicina do Maranhão (CRM-MA), Associação Médica do Maranhão (AMM) e Sindicato dos Médicos do Maranhão (Sindmed-MA) divulgaram nota conjunta com recomendações à população, ao poder público e à direção de Unidades Hospitalares (público e privadas), no auditório do CRM-MA.

À população em geral foi destacado no documento a importância do uso de máscaras, distanciamento social e higienização das mãos continuamente. Também foi feito um apelo às pessoas que já estão na faixa-etária com vacinas disponíveis que se vacinem. Ao poder público, sobretudo às gestões municipais, foi recomendado que ofertem às suas populações serviços ambulatoriais e leitos de estabilização para pacientes com síndromes gripais, antecipando a avaliação de risco desses pacientes. 

Com relação às Unidades Hospitalares, foi recomendado que melhorem seus serviços de notificações do agravo e das síndromes respiratórias agudas graves, de modo que se mantenha a maior transparência possível no perfil de agravamento do número de casos e de óbitos; e ao poder público, as entidades médicas pediram uma adoção de medidas restritivas em caso de iminência de saturação de leitos de UTI na rede pública e privada, de modo a evitar o colapso da rede para a grande maioria da população, que se utiliza exclusivamente dos hospitais do SUS no Estado. 

Ainda de acordo com as recomendações ao poder público, as entidades destacam que a adoção das medidas restritivas deve ser precedida de análise criteriosa de indicadores epidemiológicos, capacidade da rede de atendimento e impactos sociais e econômicos.