Fenômeno La Niña mantém influência no clima do Brasil neste mês de fevereiro

Chuvas fortes e frentes frias atuam no Brasil por influência do fenômeno La Niña, ainda neste mês de fevereiro. Os principais centros de pesquisa e monitoramento do clima global apontam que o fenômeno La Niña do verão 2020/2021 já atingiu o seu máximo e a tendência agora é de gradual enfraquecimento.

O mês de fevereiro chega com intensidade moderada e a previsão é que o padrão de neutralidade seja alcançado até meados de maio de 2021. Um dos efeitos clássicos do La Niña no clima do Brasil é o aumento da chuva no extremo norte do país e a redução da chuva no centro-sul do país.

A expectativa que as características deste La Niña pudessem evoluir para um padrão Modoki, não aconteceu. O fenômeno que persiste em fevereiro tem características clássicas, isto é, quando o Pacífico Central Equatorial tem um resfriamento homogêneo.

A Climatempo já havia alertado, o fenômeno La Niña não está tendo uma grande influência no padrão de chuva e de temperatura sobre o país no verão 2020/2021. O clima está sendo comandado principalmente pela temperatura do oceano Atlântico Sul.

Na região Nordeste do país, vigora a atuação de um Vórtice Ciclônico em Altos Níveis (VCAN). Esse fenômeno formou áreas de instabilidade sobre a região, provocando pancadas de chuva em vários estados. Porém, a chuva beneficiou pequenas áreas.

Na Região Sul e também nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se observou,  ainda em janeiro, a persistência de áreas de instabilidade que causou chuva forte e volumosa em muitas áreas dos estados.

O forte calor na Região Sudeste, além da falta de chuva em muitas áreas do centro-norte de Minas Gerais e do Espírito Santo, ainda serão observados no começo de fevereiro. A situação de bloqueio atmosférico observado na última semana de janeiro, ainda perdura no começo de fevereiro, mas será quebrado a partir do dia 5, com a chegada de uma frente fria.

A frente fria terá força para avançar até a Região Sudeste do Brasil, aumentando a nebulosidade e as condições para chuva, o que vai aliviar o calor.

La Niña

O fenômeno climático La Niña que significa “a menina”, em espanhol, é um fenômeno que se caracteriza por ser o oposto ao El Niño. Pode ser considerado um fenômeno oposto ao El Niño, por se tratar do resfriamento das águas do Oceano Pacífico Equatorial. Nesta ocorrência, a temperatura chega a cair cerca de dois a três graus, e pode ser chamado também de El Niño – episódio frio. Ou ainda, El Viejo ‘o velho’, em espanhol (Com informações Climatempo).