Flávio Dino conversa com Embaixada da China para garantir acesso à vacina

Em encontro realizado pelo Fórum Nacional de Governadores, o governador Flávio Dino participou de reunião virtual com a Embaixada da China, nesta sexta-feira (5). O propósito é ampliar as discussões pelo maior acesso à vacina de combate ao novo coronavírus. Líderes do Executivo das 27 unidades da federação participaram do evento virtual.

Na reunião, os governadores e o embaixador Yang Wanming trataram da possibilidade da China ampliar a cooperação com o Brasil na luta contra coronavírus, com oferta de IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo). O IFA é o item utilizado na produção de vacinas no país. Os líderes debateram ainda a possibilidade de outros imunizantes chineses serem incluídos no Plano Nacional de Imunização.

Flávio Dino reconheceu as múltiplas contribuições que a China tem prestado ao Brasil desde o início da pandemia, com a oferta de insumos, equipamentos de proteção dos profissionais e vacinas. O governador destacou a necessidade da colaboração ser intensificada com os estados da Amazônia Legal, nesses primeiros meses do ano. Isso pelo período de chuvas , que tende a aumentar a contaminação por Covid-19 na região, já que as pessoas passam mais tempo reclusas em ambientes sem ventilação natural.

“Queremos abrir uma outra possibilidade. Outras empresas chinesas, além da Sinovac (que possui vínculo com o Instituto Butantan), estão produzindo imunizantes. Alguns dos estados da Amazônia brasileira, inclusive o estado do Maranhão, têm essa possibilidade de aquisição direta”, informou o governador Flávio Dino.

De acordo com o governador, a intenção da compra direta é fortalecer o Plano Nacional de Imunização. “Fazer com que ele ande mais rápido, exatamente pela dramaticidade da situação humana da nossa população. De modo que apreciaria muito, em nível do Consórcio da Amazônia Legal, se fosse possível contatos bilaterais, intermediado pela Embaixada junto a outros laboratórios que tenham a oferta de imunizantes”, disse.