Fraude em licitações na cidade de Imperatriz é investigada pela Polícia Federal

A Polícia Federal realizou na manhã desta quarta-feira (3), a operação Recôndito, que investiga supostas fraudes em procedimentos licitatórios e contratos públicos, firmados pela Secretaria Municipal de Saúde (Semu), em Imperatriz. Os contratos datam do ano passado e segundo a investigação, teria sido utilizado recursos públicos federais destinados ao combate do novo Coronavírus.

As investigações iniciaram após monitoramento de licitações e contratações públicos, que apontaram irregularidades no processo de seleção de empresas para prestação de serviço. A polícia identificou diversos indícios de fraude em processo de dispensa de licitação, que culminou com a contratação de empresa de fachada, integrada por sócios ‘laranjas’. Estes foram beneficiados em contrato, que tinha por objetivo fornecer refeições para atender demanda do Centro Municipal de Tratamento do Covid-19.

Nesta fase, a investigação mobiliza 25 policiais federais para o cumprimento de sete mandados de busca e apreensão, em Imperatriz. Os mandados foram emitidos pela 1ª Vara Federal Cível e Criminal da SSJ do município. Os investigados podem responder pelos crimes de associação criminosa, fraude à licitação, corrupção ativa e corrupção passiva, entre outras infrações penais.

A denominação ‘Recôndito’ faz referência ao uso de empresa de fachada, operada por empresários ocultos, com o único objetivo de participar de processos de contração com o poder público.