Governo do Estado anuncia novas medidas de Segurança com implantação de força tática

A segurança no Maranhão passa a contar com uma força policial de comando próprio, de atuação integrada, unificada e mais equipada. O titular da Segurança Pública do Estado (SSP-MA), Jefferson Portela, anunciou, nesta quinta-feira (25), a implantação da Força Estadual Integrada de Segurança. A unidade será composta por membros das polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros, com mobilidade em todo o Maranhão.

Os coordenadores do grupamento destacados são uma major da Polícia Militar, capitão do Corpo de Bombeiros e delegado da Polícia Civil, com conhecimento e formação na investigação e combate a crimes como homicídios, crime organizado, assaltos a bancos e atendimento paramédico. Será composta por aproximadamente 50 policiais. Na estrutura, veículos tipo van, viaturas e ônibus de 60 lugares, além de armamentos, materiais de proteção e demais equipamentos.

O secretário Jefferson Portela pontuou o combate a crimes, como assaltos a banco, que reduziram no Maranhão. O Estado está sem qualquer ocorrência deste crime, nos últimos seis meses. A Força Estadual Integrada de Segurança também agirá nestes casos, reitera o gestor da SSP-MA. Portela citou ação articulada de policiais do Paraná, Bahia, Ceará e Maranhão, que neutralizou nove quadrilhas de assaltantes de banco. A força especial vai reforçar o trabalho dos grupos especiais, que permanecem monitorando as divisas do Estado e garantindo a segurança nos interiores em períodos como pagamento de funcionalismo.

Casos de policiais envolvidos em crime vêm sendo combatidos pelo sistema de Segurança, pontuou o secretário. O gestor citou a prisão de cinco policiais, ligados à casos de tortura, em Bacabal. “Os procedimentos administrativos estão abertos, autoria definida, a prisão e nossa resposta pública ao cidadão e de proteção à vítima. Fizemos tudo para reprimir essa traição do servidor policial à sociedade. Essas prisões repercutem mal para o autor do fato, mas, para o sistema de Segurança, repercutem bem”, disse Portela. Sobre caso de perito morto por policial militar, a autoria está definida e os autores em punição.

Sobre os crimes de violência contra a mulher, o secretário citou estruturas disponibilizadas pelo Estado, a exemplo da Casa da Mulher Brasileira, na capital e em Imperatriz; Patrulha Maria da Penha; Delegacia Especial da Mulher (DEM); delegacias da Mulher nas sedes das 23 regionais. “Vamos implantar a Patrulha Maria da Penha nos interiores para dar uma assistência mais imediata. É um crime de natureza complexa, pois envolve a família, mas estamos especializando o policiamento nas regionais do interior do Estado”, informou o secretário. 

Em mais recente operação policial nos interiores, realizada na quarta-feira (24), Portela enumerou como resultados na ação em Bacabal, Buriticupu, Cururupu e Açailândia, mais de 10 prisões, apreensão de armamento e drogas, e cumprimento de mandados de buscas em residências de suspeitos.