Mais 80% dos empregos no Maranhão são impulsionados por pequenos negócios, aponta Caged

Os pequenos negócios foram responsáveis por 83% dos postos de trabalho gerados no Maranhão. Isso representa um total de 16.412 oportunidades de emprego disponibilizados. Os dados são do Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério da Economia e integram levantamento da Junta Comercial do Maranhão (Jucema). O levantamento aponta ainda saldo positivo de 19.753 empregos formais no estado, em 2020.

O saldo de empregos gerados por esses negócios é quase três vezes maior que o saldo gerado pelas médias e grandes empresas. Estas, juntas, somaram 6.126 postos de trabalho disponibilizados. Os números positivos inserem o Maranhão no contexto nacional de crescimento das Micro e Pequenas Empresas (MPEs). No Brasil, esse segmento gerou mais de 293 mil das contratações com carteira assinada.

O relatório da Jucema também faz um ranking das cidades maranhenses que tiveram os maiores saldos de empregos gerados pelas micro e pequenas empresas. São Luís aparece em destaque com 5,8 mil novos postos de trabalho. Em seguida, despontam Imperatriz e Timon, com 1.230 e 699, respectivamente.

Em quase todos os setores o saldo de empregos foi positivo, mas foram as microempresas do setor de comércio que puxaram as contratações em 2020, criando mais de sete mil postos de trabalho. Em seguida estão os pequenos negócios de serviços que mais tiveram empregabilidade no Maranhão.

“As Micro e Pequenas Empresas representam um dos principais motores da economia brasileira e no Maranhão essa realidade não é diferente. Os números comprovam a capacidade de resiliência, inovação e força demostrada pelas MPEs mesmo num cenário de crise como a que estamos vivendo”, analisou o gestor da Jucema, Sérgio Sombra.