Maranhão avança na produção de defensivos agrícolas naturais

Curso oferecido pela Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp) ensinou como produzir defensivos agrícolas naturais em regiões agricultoras do estado, na última semana.

Na lista de receitas estão como montar armadilhas de leite para controle de lesmas, orientações sobre uso da calda de mandioca que protege de formigueiros e até mesmo, utilização das cores para atrair insetos. A formação teve aulas teóricas e práticas.

Quem é da zona rural com certeza conhece a fava, que é um tipo de feijão que já era muito apreciado nos tempos do Império Romano e chegou ao Brasil pelas mãos dos colonizadores europeus. O alimento de alto valor nutricional caiu nos gostos dos brasileiros, principalmente no Nordeste e para quem produz é uma boa fonte de renda. Na zona rural de Santa Inês um produtor está tentando modernizar a produção da fava e tornar a atividade ainda mais rentável.

A comunidade rural que fica no povoado Vila Nova, na cidade de Vitória do Mearim, situado no Norte do Maranhão, mantém a tradição da produção artesanal de farinha de mandioca e todo processo é feito no forno a lenha. No período da colheita da mandioca é também época de farinhada.

O movimento das quebradeiras de coco no Sul do Maranhão se organiza para proteger os babaçuais. Elas estão propondo pela primeira vez uma parceria com fazendeiros e pecuaristas para salvar as palmeiras. O plano prevê a integração da pecuária com a produção de frutas e até com a produção de madeira para uso comercial à sombra dos babaçuais.