Foto: Marcello Casal

Inscrições para o Enem encerram no sábado

Os interessados em participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) têm até o próximo sábado (21) para fazer a inscrição, habilitando-se para as provas que serão aplicadas nos dias 13 e 20 de novembro.

As inscrições para o Enem 2022, tanto para a edição impressa como para a digital, devem ser feitas na Página do Participante. Para acessá-la, clique aqui. A taxa é de R$ 85, e poderá ser paga via PIX, cartão de crédito ou por boleto bancário até o dia 27 deste mês.

No momento da inscrição, o candidato escolhe se quer fazer a prova de língua estrangeira em inglês ou espanhol. Ele escolhe também se quer o exame impresso ou digital e informa se precisa de algum atendimento especial (acessibilidade, por exemplo).

O estudante também preenche um questionário socioeconômico informando se já concluiu o ensino médio e outras informações cadastrais.

Provas

As provas serão nos dias 13 e 20 de novembro. Pela primeira vez, o candidato poderá apresentar a versão digital de documento de identificação no dia da prova. Serão aceitos e-título, Carteira de Habilitação Digital ou RG Digital. O candidato deverá abrir o aplicativo e apresentar o documento ao fiscal. Capturas de tela não serão aceitas.

O exame terá quatro provas objetivas e uma redação em língua portuguesa. Cada prova objetiva terá 45 questões de múltipla escolha.

No primeiro dia do exame, serão aplicadas as provas de linguagens, códigos e redação (língua portuguesa, literatura, língua estrangeira, artes, educação física e tecnologias da informação e comunicação) e de ciências humanas e suas tecnologias (história, geografia, filosofia e sociologia).

O tempo para realização da prova é de cinco horas e 30 minutos, contadas a partir da autorização do chefe de sala para o início das provas.

No segundo dia do exame, serão aplicadas as provas de ciências da natureza (química, física e biologia) e matemática e suas tecnologias. No segundo dia, o tempo para realizar o exame é de cinco horas, contadas a partir da autorização do chefe de sala para o início das provas.

Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados no Portal do Inep até o terceiro dia útil após a última prova.

Maranhense conquista pódio no Open Pan-Americano de Veteranos de judô

O fim de semana foi de conquistas para o judoca maranhense, José de Ribamar Goes. Ele conquistou o terceiro lugar no Open Pan-Americano de Veteranos, realizado em Salvador, de 11 a 15 de maio. A competição aconteceu junto com o Campeonato Pan-Americano de Veteranos e Kata, Campeonato Sul-Americano de Veteranos. Todos foram promovidos pela Confederação Pan-americana de Judô (CPJ), Confederação Sul-americana de Judô (CSJ) e Federação Internacional de Judô (FIJ).

O judoca José de Ribamar Goes se destacou entre os brasileiros e os atletas internacionais. Para o campeonato Pan-Americano e as outras competições, a Confederação Brasileira de Judô levou a maior delegação. Uma competição internacional que reuniu atletas de ponta de todo o mundo na capital baiana. Entre os países participantes estavam: Argentina, Chile, México, Canadá, Uruguai, Estados Unidos e Equador, todos com conquista de medalhas no Pan de Veteranos. Os únicos países que não foram ao pódio foram o Peru e a Jamaica.

Goes agradeceu à família pela confiança e ao diretor da Via Mundo, Antonio Bacelar, que o patrocinou.  “Agradeço por ele e a instituição acreditarem no trabalho e dedicação de uma vida inteira”, disse o atleta maranhense. Bacelar reafirmou que a diretriz social da Via Mundo sempre foi o incentivo à cultura e ao esporte maranhense. “Viemos de um momento difícil, onde todos tiveram que se reinventar e as atividades físicas foram a saída pra muitas pessoas,” importante seguirmos com apoio e incentivo” afirmou.

Sampaio intensifica preparação para jogo contra CRB na Série B

Com a semana cheia para treinamento, o Sampaio Corrêa deu prosseguimento à preparação para enfrentar o CRB, na próxima segunda-feira, no Estádio Rei Pelé, em Maceió. Duelo válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

Em atividade realizada na tarde desta terça-feira, no CT José Carlos Macieira, o técnico Léo Condé começou a projetar o time titular para a partida. Ainda sem Ferreira, que se recupera de uma lesão muscular, o treinador deve manter Lucas Araújo ao lado de André Luiz na cabeça de área. No entanto, muitas observações ainda devem ser feitas até ser definida a formação ideal.

Apontado como um dos destaques da equipe nos últimos jogos, Rafael Vila destacou o tempo livre para treinamento, e espera absorver ao máximo as instruções do treinador: “Esse período vai ser bom para a equipe se preparar melhor e focar nas orientações do professor Condé. Queremos aproveitar bem essa semana para chegar forte contra o CRB e tentar trazer um bom resultado pra casa”, afirmou o meia Tricolor.

Os treinos preparatórios terão prosseguimento na tarde desta quarta-feira, com nova movimentação agendada para o CT do clube.

Casos de dengue crescem 113,7% no primeiro quadrimestre

Em meio a um surto de dengue, o Brasil registrou um aumento de 113,7% nos casos prováveis da doença até abril deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo boletim do Ministério da Saúde, divulgado na segunda-feira (2), foram 542.038 casos prováveis, entre a primeira e a décima sexta semana epidemiológica, período compreendido entre 2 de janeiro e 23 de abril de 2022. Esse número já é praticamente o mesmo que foi registrado em todo o ano de 2021, quando foram contabilizados 544 mil casos prováveis de dengue.

A doença, causada por um vírus, é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti. Os principais sintomas são febre alta, erupções cutâneas e dores musculares e nas articulações. Nas formas mais graves, a dengue pode causar hemorragia interna em órgãos e tecidos, e levar à morte.

A Região Centro-Oeste apresentou a maior taxa de incidência de dengue, com 920,4 casos por 100 mil habitantes, seguida das regiões Sul (427,2 casos/100 mil habitantes), Sudeste (188,3 casos/100 mil habitantes), Norte (154 casos/100 mil habitantes) e Nordeste (105 casos/100 mil habitantes). O estado de Goiás tem sido um dos mais afetados, liderando a incidência da doença no país, com 1.366 casos para cada 100 mil habitantes. 

Os municípios que apresentaram os maiores registros de casos prováveis de dengue até 23 de abril respectiva semana foram Goiânia/GO, com 31.189 casos (2.004,9 casos/100 mil habitantes), Brasília, com 29.928 casos (967,2/100 mil habitantes), Palmas, com 9.080 casos (2.897,7 casos/100 mil habitantes), São José do Rio Preto (SP), com 7.466 casos (1.591,3 casos/100 mil habitantes) e Votuporanga (SP), com 6.836 casos (7.113/100 mil habitantes).

Desde o início do ano, já foram confirmados 160 óbitos por dengue no país, sendo 147 por critério laboratorial e outros 13 por análise clínica. Os estados com mais registro de mortes pela doença até agora são: São Paulo (56), Goiás (19), Santa Catarina (19) e Bahia (16). Outros 228 óbitos ainda estão em investigação.

Até o dia 23 de abril, foram notificados 378 casos de dengue grave (DG) e 4.741 casos de dengue com sinais de alarme (DSA). Outros 368 casos de dengue grave e dengue com sinais de alarme seguem em investigação.

Chikungunya

Em relação à febre chikungunya, o Ministério da Saúde informou que, até o último dia 23 de abril, foram registrados 47.281 casos prováveis, uma taxa de incidência de 22,2 casos por 100 mil habitantes no país. Esses números correspondem a um aumento de 40% dos casos em relação ao mesmo período do ano passado.

A região Nordeste foi a que apresentou a maior incidência, com 65,9 casos por 100 mil habitantes, seguida das regiões Centro-Oeste (15,6 casos/100 mil habitantes) e Norte (8,4 casos/100 mil habitantes).

Os municípios que apresentaram os maiores registros de casos prováveis de chikungunya até abril foram: Juazeiro do Norte (CE), com 3.539 casos (1.271,8 casos/100 mil habitantes); Crato (CE), com 2.068 casos (1.544,3 casos/100 mil habitantes); Salgueiro (PE), com 1.883 casos (3.058,8 casos/100 mil habitantes); Brumado (BA), com 1.744 casos (2.584,9 casos/100 mil habitantes) e Fortaleza, com 1.563 casos (57,8 casos/100 mil habitantes).

Desde o início do ano, a chikungunya foi a causa de morte de oito pessoas no país, sendo seis apenas no Ceará. Maranhão e Mato Grosso do Sul foram os dois outros registros. No entanto, ao menos 12 óbitos seguem em investigação nos estados do Ceará, Bahia, São Paulo, Paraíba, Pernambuco, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás. 

A chikungunya também é uma infecção viral, como a dengue, e que pode ser transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus, os mesmos insetos que transmitem a dengue e a febre amarela, respectivamente. Os sintomas podem incluir febre, dor nas articulações, dor muscular, dor de cabeça, dor nos olhos, dor na garganta e fadiga. Em mais de 50% dos casos, a dor nas articulações (artralgia) torna-se crônica, podendo persistir por anos.

Zika

O Ministério da Saúde também atualizou o balanço dos casos de zika no país, com 2.118 casos prováveis até o dia 14 de abril. A taxa de incidência ficou em 0,99 caso por 100 mil habitantes no país. Em relação a 2021, os dados representam um aumento de 53,9% no número de casos. Até a semana analisada, não foi notificado nenhum óbito causado por zika no Brasil.

Também transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti, o vírus da zika foi identificado pela primeira vez no Brasil em 2015 e tem essa denominação por ter sido descoberto na floresta Zika, em Uganda, na África. Segundo as o Ministério da Saúde, cerca de 80% das pessoas infectadas pelo vírus Zika não desenvolvem manifestações clínicas. Os principais sintomas são dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos. Outros sintomas menos frequentes são inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos. Em geral, a evolução da doença é benigna e os sintomas desaparecem espontaneamente após 3 a 7 dias.

Febre amarela

Entre julho de 2021 até meados de abril de 2022, o Ministério da Saúde registrou 1.093 epizootias suspeitas de febre amarela, dos quais 25 (2,3%) foram confirmadas por critério laboratorial. As epizootias são as mortes de animais não humanos em decorrência da doença e podem indicar a presença do vírus em uma determinada região e, com isso, o risco de contaminação de humanos. Os macacos, de diferentes espécies, são os principais hospedeiros do vírus da febre amarela. No mesmo período, foram notificados 485 casos humanos suspeitos de febre amarela, dos quais 4 (0,8%) foram confirmados.

A transmissão do vírus entre primatas não humanos (PNH) foi registrada no Pará, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, sinalizando a circulação ativa do vírus nesses estados e o aumento do risco de transmissão às populações humanas durante o período sazonal, que vai de dezembro a maio. Os casos humanos confirmados tiveram local provável de infecção no Pará (municípios de Afuá e Oeiras do Pará) e em Tocantins (município de São Salvador do Tocantins).

A febre amarela é uma doença viral transmitida por diferentes espécies de mosquitos infectados. Os sintomas mais comuns são febre, dores musculares com dor lombar proeminente, dor de cabeça, perda de apetite, náusea ou vômito. Na maioria dos casos, os sintomas desaparecem depois de 3 ou 4 dias. De acordo com a Organização Panamericana de Saúde (Opas), de 15% a 25% dos pacientes entram em uma segunda fase mais grave, na qual o risco de morte é maior e as pessoas podem ficar com a pele e os olhos amarelados, sangramentos, urina escura (problemas renais), além de dores abdominais com vômitos.

Foto: Divulgação

Fim de emergência sanitária passa a valer a partir do dia 22

A Portaria nº 913, publicada pelo Ministério da Saúde em 22 de abril deste ano, determina o fim da emergência em saúde pública de importância nacional conhecida também como emergência sanitária, e entrará em vigor no dia 22 de maio. Conforme explica o Ministério da Saúde, o sucesso na campanha de imunização de âmbito nacional, a queda expressiva na média móvel de mortes por covid-19 (feita pela soma dos últimos sete dias dividida por sete) e no número de infecções, além da queda na taxa de ocupação de leitos de UTIs, justificam a retomada dos procedimentos normais no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

No entanto, o fim do estado de emergência não afeta todas as políticas públicas de combate à pandemia em vigor, como a ampla vacinação, a aquisição de imunizantes e remédios, a compra de equipamentos de proteção individual (EPIs) e a disponibilidade de leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs). A medida tem maior relação com a forma como o governo autorizou alocação extraordinária de verbas para estados e municípios, exceções nas regras de aquisição de insumos e também contratação excepcional de recursos humanos.

O secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, o governo federal já vinha elaborando dispositivos mais específicos e detalhados para certos aspectos da estratégica contra a covid-19 fora da Espin. “Diversos normativos tiveram eficácia vinculada à Espin. O governo federal já vinha se preparando. Na medida em que as discussões vinham sendo feitas, as flexibilizações e ajustes nas legislações foram executados”

Legado

Cruz informou que o fim do estado de emergência sanitária deixará como legado diversas experiências que facilitarão decisões amplas no âmbito da saúde. “Na parte de saúde, já vínhamos trabalhando para manter as flexibilizações que foram consideradas importantes [durante o período de vigência] como política pública, como por exemplo a telemedicina”, complementou.

Outro ensinamento considerado importante pelo secretário executivo do Ministério da Saúde em relação à pandemia de covid-19 foi a necessidade de ampliar a formação de médicos intensivistas – aqueles que atendem pacientes em estado grave -, além da necessidade de acesso mais amplo a leitos de UTI em todas as regiões do Brasil.

Sobre alertas feitos recentemente pelo diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, Rodrigo Cruz respondeu que a permanência do estado mundial de pandemia tem relação com a desigualdade na distribuição de vacinas em diferentes locais, como a África, que ainda não chegou aos 20% de cobertura vacinal.

Imunização

O Brasil, que se destacou na eficiência da aplicação de vacinas, já tem mais de 78% da população totalmente vacinada e 414,3 milhões de doses de vacinas aplicadas. “São coisas distintas. Entender internacionalmente que existe uma emergência sanitária não significa que nacionalmente essa emergência se mantém”, explicou o secretário executivo do Ministério da Saúde.

Prazo para emitir ou regularizar título termina quarta-feira (4)

Quem quiser votar nas eleições 2022 tem até a próxima quarta-feira (4) para emitir ou regularizar o título de eleitor. Esse é o prazo legal para que a Justiça Eleitoral conclua o cadastro de todo o eleitorado apto a votar em outubro.

O mesmo prazo vale para quem quiser transferir o domicílio eleitoral, mudando o município onde vota, bem como para incluir o nome social no título de eleitor – no caso de pessoas transsexuais e travestis. A data vale também para idosos e pessoas com mobilidade reduzida solicitarem a transferência do local de votação para uma seção acessível.

Assim como em todo ciclo eleitoral, a busca por regularizar a situação do título tem aumentado com a proximidade do fim do prazo, o que levou a Justiça Eleitoral de diversos estados a ampliar o horário de funcionamento dos cartórios eleitorais.

Vale lembrar, contudo, que todos os procedimentos relativos ao título de eleitor, incluindo a emissão do documento pela primeira vez, podem ser realizados inteiramente online, sem a necessidade de sair de casa, por meio do Atendimento Online ao eleitor.

Por meio da internet é possível, por exemplo, pagar multas eleitorais atrasadas e solicitar a revisão de dados no caso de título cancelados. De acordo com a Justiça Eleitoral, mais de 6 milhões de títulos foram cancelados de 2018 a 2021.

Isso pode acontecer, por exemplo, quando o eleitor não comparece à votação nem justifica a ausência por três eleições consecutivas, apesar de se enquadrar nos critérios de obrigatoriedade do voto.

Contudo, quem teve o título cancelado por ter faltado à revisão do eleitorado e à coleta de biometria em seu estado não precisa se preocupar. No mês passado, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) suspendeu os efeitos do cancelamento devido à continuidade da pandemia de covid-19. Dessa maneira, os eleitores nessa situação poderão votar normalmente em outubro.

Para verificar e resolver pendências relativas ao título, o eleitor deverá ter em mãos documentos como cadastro de pessoa física. Em alguns casos é necessário tirar fotos de rosto e de documentos, entre eles RG e comprovante de residência, para solicitar determinados procedimentos. Todas as informações estão disponíveis no portal da Justiça Eleitoral.

O prazo limite para emitir ou modificar informações relativas ao título de eleitor é decorrente da Lei das Eleições, que prevê o fechamento do cadastro eleitoral 150 dias antes do pleito. Neste ano, a data do fechamento é 5 de maio.

Juliette vibra ao conhecer Camila Cabello no Coachella

Juliette acompanhou a estreia de Anitta no Coachella no último final de semana daqui do Brasil, mas fez questão de estar presente na segunda apresentação da cantora, que aconteceu na sexta-feira (22). Durante a passagem pelo festival, a ex-BBB ainda teve a oportunidade de conhecer Camila Cabello.

A cantora, que recentemente lançou seu terceiro álbum solo, “Familia”, também prestigiou a segunda apresentação de Anitta no Coachella. Nos bastidores, as três ainda aproveitaram para tirar fotos e gravar um vídeo ao som de “Gata”, do novo álbum da funkeira, “Versions of Me”.

Além de trazer todos os sucesso da carreira da cantora, o show de Anitta no Coachella, apelidado pelos fãs de “Anichella”, levou elementos culturais brasileiros para Palm Springs, na Califórnia (EUA): além do funk, teve também a bossa nova, a capoeira, o carnaval e, especialmente, a favela.

Em sua primeira apresentação no festival, a cantora chamou Snoop Dogg, Diplo e Saweetie para acompanhá-la em algumas das músicas. Nas redes sociais, famosos e fãs só tinham elogios para a apresentação: “Nós temos muito orgulho de você. Vai, malandra, o mundo é teu!”, escreveu Juliette em seu Twitter.

Mãe de Neymar evita fotos com novo affair

Nadine Gonçalves, de 55 anos, a mãe de Neymar, está vivendo um romance com o muso fitness Rafa Talaski, de 36, que ela conheceu no Sambódromo, na semana passada, durante os desfiles das escolas de samba do Rio. O romance segue, e os dois retornaram no último sábado ao camarote Mar para o Desfile das Campeãs.

Discretos, eles ficaram separados no espaço, tanto, que não tem nem um registro juntos. O bonitão chegou a dar entrevista para Carol Nakamura, que fazia reportagens para o camarote, e declarou estar feliz. Resta saber se será apenas um amor de carnaval ou se vai vingar.

Rafa é de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e estava no Rio, onde bate ponto, para o carnaval. Entre uma passada e outra nos espaços vip da Avenida, ela conheceu Talaski.

Quem viu os dois, jura que ali tem potencial para romance. Tanto que Nadine e Talaski circularam de mãos dadas até na hora de ir embora. Há alguns anos, ele chamou atenção de David Brazil, que como se sabe é muito amigo da família Neymar. David foi uma espécie de padrinho de Rafa no mundo das celebridades no Rio. Tanto que ele descansa da folia na mansão do promoter em Mangaratiba, onde Nadine também tem um big imóvel.

Com quase 200 mil seguidores e seguindo apenas 206 pessoas, entre elas, Nadine, claro (ela também passou a segui-lo), Rafa ainda atua como influenciador, além de postar suas fotos sem camisa mostrando o abdômen trincadíssimo. Ao que parece, Neymãe deixou a fase com o ex-namorado, Tiago Ramos, no passado.

Fernando Zor confirma noivado com Maiara: “Minha noivinha”

Com tantas idas e vindas no relacionamento, os sertanejos Fernando Zor, da dupla com Sorocaba, e Maiara, que canta com a irmã, Maraisa, deram um novo passo e estão noivos. A informação foi confirmada pelo cantor com uma declaração à noiva em suas redes sociais.

“Uma lembrança diária da decisão de viver uma vida toda a dois! Que Deus nos proteja, minha noivinha, meu amor, minha vida!”, escreveu Fernando ao compartilhar uma vida do casal no Twitter.

Idas e vindas

O último término do casal foi especialmente complicado. Motivado por uma suposta traição por parte dele, aconteceu pouco tempo depois que a cantora perdeu Marília Mendonça, amiga que considerava com irmã. Desde então, rumores de uma volta surgiram algumas vezes, mas ambos sempre negaram.

Após um período afastado das redes sociais, Fernando recentemente reapareceu para mandar um recado aos seus seguidores. “Estamos de volta, após alguns dias de detox digital. Esse Instagram está uma terra sem lei, não é fácil administrar. Mas estamos aqui, estamos firmes e fortes. Agora é procurar trazer conteúdos exclusivos para vocês”, declarou o sertanejo.

Fernando, que canta com Sorocaba, tem sido alvo de muitas críticas pelo relacionamento cheio de brigas e reconciliações com Maiara. Os sertanejos estão juntos desde 2019 e, só no primeiro ano, já haviam terminado e reatado cerca de cinco vezes. Na nova etapa do relacionamento, eles decidiram deixar a vida pessoal cada vez mais offline.

Após pesadelo, Anitta faz pedido aos fãs: “Muitas orações”

Anitta teve um pesadelo na madrugada desta segunda-feira (2) e decidiu compartilhar a sensação ruim com os fãs. A cantora entendeu o sonho como um recado para intensificar suas orações. No Twitter, ela lembrou que a guerra na Ucrânia não acabou e pediu para o público entrar na corrente de pensamentos positivos.

“Tive um pesadelo do nada aqui e acordei. Queria pedir algo aos meus seguidores que estou fazendo agorinha. A guerra ainda não acabou. Só a mídia que não tá rendendo mais tantos cliques então não está mais falando tanto sobre isso como antes. Mas devemos continuar rezando. O poder da oração e de enviar pensamentos e pedidos positivos ao universo é maior do que muitos imaginam”, afirmou.

Em outro post, por volta das 3h da manhã, Anitta disse que as orações também devem levar em consideração outros problemas do mundo: “Vamos continuar rezando pra que isso acabe. Não só a guerra. Mas também a fome, a miséria, o descaso com a natureza, o assassinato dos povos indígenas. Precisamos de muitas orações pedindo a paz que nosso mundo tanto precisa. Deus esteja com todos nós sempre. Amém”.

Esta não é a primeira vez que Anitta usa suas redes sociais para pedir orações. No ano passado, ela foi vítima de intolerância religiosa ao publicar pela primeira vez suas fotos usando roupas tradicionais do Candomblé. Há oito anos, a estrela frequente um terreiro em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.