Eleições 2022: os pré-candidatos ao governo do Maranhão

O primeiro turno das eleições acontece em 2 de outubro de 2022. Em busca do governo do Maranhão, os partidos seguem com as negociações por alianças e alguns nomes já se lançaram como pré-candidatos.

A Justiça Eleitoral determina que o período para os partidos realizarem convenções e decidirem seus candidatos vai de 20 de julho a 5 de agosto. O pedido de registro da candidatura deve ser feito até 15 de agosto.

Confira a lista dos já declarados pré-candidatos ao governo do Maranhão:

Carlos Brandão (PSB) – Situação: Carlos Brandão possui formação em Medicina Veterinária. O político foi eleito como vice-governador na chapa com Flávio Dino, em 2018, e assumiu o governo estadual no dia 2 de abril, após a saída de Dino. Lançamento: a pré-candidatura foi anunciada no dia 1ª de fevereiro durante entrevista coletiva.

Edivaldo Holanda Jr. (PSD)- Situação: Edivaldo Holanda Jr é advogado e político. Em São Luís, foi prefeito por oito anos entre 2012 e 2020. Lançamento: a pré-candidatura foi anunciada no dia 8 de agosto de 2021 durante ato de filiação ao PSD.

Enilton Rodrigues (PSOL) – Situação: Enilton Rodrigues é engenheiro florestal. Na carreira política, já tentou ser vereador no município de Arame e deputado estadual. Atualmente, é presidente estadual do PSOL. Lançamento: a pré-candidatura foi oficializada no dia 5 de dezembro durante conferência eleitoral do partido.

Hertz Dias (PSTU) – Situação: Hertz Dias é professor de História e, em 2018, foi candidato à vice-presidência do Brasil. Ele também é co-fundador do movimento Hip Hop Quilombo Urbano, uma das mais antigas organizações de Hip Hop do Brasil e do Movimento Hip Hop Quilombo Brasil. Lançamento: a pré-candidatura foi anunciada no dia 7 de março, pelas redes sociais.

Josimar de Maranhãozinho (PTB) – Situação: Josimar de Maranhãozinho é empresário e já foi deputado estadual. Atualmente, é deputado federal. Lançamento: a pré-candidatura ainda não foi anunciada oficialmente pelo partido.

Lahesio Bonfim (PSC) – Situação: Lahesio Bonfim é médico e era prefeito da cidade de São Pedro dos Crentes até março de 2022, quando precisou renunciar para ser candidato a governador. Lançamento: a pré-candidatura foi oficializada no dia 4 de abril durante evento do partido.

Simplício Araújo (Solidariedade) – Situação: Simplício Alves é graduado em análise de sistemas. De 2013 a 2015 exerceu mandato de deputado federal e também já comandou a Secretaria de Indústria e Comércio do Maranhão. Lançamento: a pré-candidatura ainda não foi anunciada oficialmente pelo partido.

Weverton Rocha (PDT) – Situação: Weverton Rocha atualmente é senador, mas já foi deputado federal e secretário Estadual de Esporte e Juventude no Maranhão. Também foi vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (Une) entre 2000 e 2001. Lançamento: a pré-candidatura foi anunciada no dia 1º de fevereiro, em entrevista coletiva.

Eleições 2022: Pesquisa Escutec aponta liderança de Carlos Brandão

O Grupo Mirante de Comunicação divulgou, neste domingo (01), mais uma pesquisa Escutec para o Governo do Maranhão. O novo levantamento apontou uma ampliação da liderança do governador Carlos Brandão (PSB) em busca da reeleição.

Brandão aparece agora com 24%, contra 20% do senador e pré-candidato pelo PDT, Weverton Rocha. Na sequencia aparecem o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PSD) com 12% e o ex-prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahesio Bonfim (PSC) com 11%. Os demais não conseguiram alcançar a casa de dois dígitos.

Com relação a última pesquisa, Brandão ampliou a diferença para Weverton, já que era de 1% e passou a ser de 4%.

Rejeição

No quesito de rejeição, a liderança é do deputado federal e pré-candidato pelo PL, Josimar de Maranhãozinho com 24%. Na sequencia aparecem o senador Roberto Rocha (PTB) com 21%, Weverton 15%, Brandão 13% e Edivaldo 11%

A pesquisa Escutec foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (MA-02565/2022), ouvindo dois mil eleitores do Maranhão, entre os dias 26 a 30 de abril. Com margem de erra de 2,19% para mais ou para menos e com grau de de confiança de 95%.

MA: Secretários de governo são exonerados para disputar as eleições

Secretários e dirigentes do ex-governador Flávio Dino (PSB), foram exonerados nas últimas semanas. A mudança ocorre por conta do novo governo de Carlos Brandão (PSB) e ainda para a disputa eleitoral em 2022.

Pela legislação, membros do Executivo precisam se afastar das funções a seis meses da eleição, para evitar abuso de poder econômico ou político durante corrida eleitoral. O prazo final terminou neste sábado (2).

Já foram exonerados, com publicação no Diário Oficial:

Enos Ferreira – Secretaria Extraordinária de Relações Institucionais

Francisco Gonçalves – Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular

Genilson Roberto Alves da Silva – Secretaria do Trabalho e da Economia Solidária

Luis Henrique de Sousa – Secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca

Márcio Jerry – Secretaria das Cidades e Desenvolvimento Urbano

Júlio César Mendonça Corrêa – Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão – AGERP

Jesuíno Cordeiro Mendes Júnior – Instituto de Colonização e Terras do Maranhão

Secretários exonerados e que serão pré-candidatos nas eleições:

Felipe Camarão (Secretaria de Educação) – candidato a vice-governador

Carlos Lula (Secretaria de Saúde) – candidato a deputado estadual

Catulé Júnior (Secretaria de Turismo) – candidato a deputado estadual

Jefferson Portela (Secretaria de Segurança Pública) – candidato a deputado estadual

Rogério Cafeteira (Secretaria de Esporte e Lazer) – candidato a deputado estadual

Rodrigo Lago (Secretaria de Agricultura Familiar) – candidato a deputado estadual

Francisco Nagib (Detran) – candidato a deputado estadual

Clayton Noleto (Secretaria da Infraestrutura) – candidato a deputado federal

Márcio Honnaiser (Secretaria de Desenvolvimento Social) – candidato a deputado federal

Sérgio Delmiro (Secretaria de Agricultura Pecuária e Pesca) – candidato a deputado estadual

Ana do Gás (Secretaria da Mulher) – candidata a deputada estadual

Ao longo dos próximos dias, mais ex-secretários do governo Dino também devem confirmar sua candidatura para as eleições deste ano.

Governadores deixam mandato para disputar eleições 2022

Um grupo de seis governadores deixou seus mandatos para concorrer nas eleições de outubro. O prazo limite para desligamento dos cargos é neste sábado (2) e todos estão aptos ao pleito. A maioria estava em segundo mandato e não poderia se manter à frente do estado por mais quatro anos.

João Doria venceu as prévias para ser o pré-candidato ao PSDB à Presidência. Já Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul, está habilitado a concorrer à reeleição, mas optou por tentar a disputa presidencial.

Nesta semana, João Doria ameaçou desistir da candidatura por conta de uma ala do partido que defende que o candidato tucano à Presidência seja Eduardo Leite. Mas oficializou a sua saída do governo de São Paulo para manter a sua pré-candidatura à Presidência da República pelo PSDB. Leite tenta ser o candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, mesmo derrotado nas prévias do partido, em novembro passado, para João Doria.

Os demais governadores a deixar o Executivo local têm como objetivo disputar uma vaga ao Senado Federal. É o caso de Camilo Santana (PT), no Ceará; Flávio Dino (PSB), do Maranhão; Renan Filho (MDB), em Alagoas; e de Wellington Dias (PT), no Piauí.

Neste ano, cada estado renovará apenas uma das três vagas que têm direito no Senado, o que aumenta a disputa regional.

Alckmin negocia com PV após federação entre PSB e PT não dar certo

O ex-governador Geraldo Alckmin (sem partido) teve uma nova reunião com o presidente do PV, José Luiz Penna. O encontro aconteceu após o PSB desistir da federação com o PT. É forte a possibilidade do ex-tucano se juntar à legenda verde. O presidente do PV disse que, até a próxima semana.

Antes do PSB decidir não participar mais de uma federação com PT, PCdoB e PV, o presidente dos pessebistas, Carlos Siqueira, chegou a anunciar que Alckmin havia se comprometido a entrar para o partido.

O ex-governador, no entanto, procurou manter as negociações em aberto. “Sigo conversando com outros partidos que buscam uma unidade de ação em defesa da democracia e de melhores condições de vida para o nosso povo”, disse na rede social. Além do PSB e PV, Alckmin também recebeu convites do Solidariedade e do PSD.

Eleições 2022: Como regularizar o título de eleitor

Os eleitores que pretendem votar nas eleições gerais de outubro terão quatro meses para regularizar a situação na Justiça Eleitoral. A partir de 4 de maio, o cadastro eleitoral será fechado e nenhuma alteração poderá ser feita.

A regularização do título de eleitor pode ser feita no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O prazo também vale para quem vai pedir a primeira via do documento para votar pela primeira vez, fazer a transferência de local de votação ou a atualização de dados pessoais.

Para verificar sua situação, o eleitor deve entrar no site do TSE e checar se há algum débito em seu nome pela aplicação de multa por não ter votado em eleições anteriores, caso mais comum de irregularidade.

O voto no Brasil é obrigatório e quem não comparece no dia da eleição paga multa de aproximadamente R$ 3,50 por cada turno se não justificar a falta.

Após fazer o pagamento, por meio da Guia de Recolhimento da União (GRU), é preciso esperar a Justiça Eleitoral identificar o pagamento da multa e baixá-la no sistema, que acusará que o débito foi pago.

Cancelamento

O eleitor que estiver com o título cancelado pela ausência consecutiva em três eleições, além de pagar a multa, deverá requerer a revisão do cancelamento ou a transferência de domicílio para ficar em dia com a Justiça Eleitoral.

Regularização

Após checar sua situação e quitar as pendências, o eleitor deve iniciar o processo de regularização por meio do site Títulonet.

Além de preencher os dados pessoais, será solicitada a digitalização dos seguintes documentos: identidade com foto, comprovante de residência, comprovante de pagamento de débitos eleitorais e comprovante de quitação de serviço militar (somente para homens). As imagens devem ser legíveis.

O eleitor também deverá anexar uma selfie no requerimento. Na foto, deverá segurar, ao lado de seu rosto, o documento oficial de identificação, sem o uso de óculos, gorros, bonés, entre outros objetos.

Após o preenchimento de todas as informações, o procedimento de verificação das informações será iniciado. No caso de falta de documentos, a Justiça Eleitoral poderá entrar em contato com o eleitor para pedir a complementação das informações.

Ao final, o pedido de regularização será aceito ou negado pelo juiz eleitoral. O andamento do processo eletrônico também pode ser acompanhado na plataforma.

Transferência

O pedido de transferência do local de votação também pode ser feito pelo site do TSE. A medida se aplica aos brasileiros que mudaram de cidade. Entre as regras, é necessário que o eleitor esteja morando no município há pelo menos três meses.

Quem mora no exterior deve fazer o pedido de transferência na embaixada ou consulado do Brasil. Os brasileiros no exterior só votam para presidente da República.

Eleições

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, quando os eleitores vão às urnas para eleger o presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais. Eventual segundo turno será em 30 de outubro.  

Eleições 2022: Lula lidera intenções de votos e Bolsonaro lidera rejeições, diz DataIlha

Pesquisa do instituto DataIlha avaliou a preferência do eleitorado para a presidente da República, nestas eleições. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), segue liderando com vantagem que vem crescendo a cada novo levantamento. Já o presidente Jair Bolsonaro (PL) cresce no quesito rejeição. A pesquisa foi divulgada na terça-feira, 15, e considerou ainda a aceitação ao governo do presidente Jair Bolsonaro, que foi classificada como péssima. A pesquisa é aberta e espontânea.

O questionamento aberto, feito aos entrevistados foi: “Se as eleições fossem hoje, em quem você votaria para presidente da República?”. Lula venceria com folga, pontuando 49,8%; Bolsonaro ficaria em segundo lugar, com 25,7%. Seguem na preferência Ciro Gomes (7,3%), Sérgio Moro (4,7%) e João Dória (1%). Que não votaria em nenhum, 7,3%, e que não souberam ou não responderam, 4,4%.

Foi considerado ainda um segundo cenário, espontâneo, com acréscimo de mais 11 nomes. Lula pontuaria com 33,1% e Bolsonaro com 21%, ou seja, o petista ainda venceria o atual presidente. Em seguida vêm Ciro Gomes (2,1 %), Sérgio Moro (1,1 %), Flávio Dino (0,2 %), André Janones (0,2 %), Marina (0,1 %), Cabo Daciolo (0,1%), candidato do PT (0,1%), Edvaldo Holanda Jr (0,1%), Guilherme PL (0,1%), Haddad (0,1%), João Amoedo (0,1%), Luis Felipe Dávila (0,1%) e Zema (0,1%). Que não votaria em nenhum, 2,7%, e que não souberam ou não responderam 39,3%.

Rejeição

Quando perguntados “Em quem você não votaria”, Jair Bolsonaro aparece em primeiro lugar com 45,1%, seguido de Lula, com 22,6%. Completam a lista, Sérgio Moro (8,1%), Ciro Gomes (5,6%) e João Dória (5,1%). Que não votaria em nenhum, 6.1%, e que não souberam ou não responderam, 7,6%.

O Instituto de DataIlha ouviu 2 mil eleitores, estratificadas por município, gênero, faixa etária, grau de escolaridade, renda e religião. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o número 00422/2022.

Eleições 2022: Empate técnico entre Brandão e Weverton, aponta DataIlha

Pesquisa do instituto DataIlha, divulgada nesta terça-feira, 15, aponta empate técnico entre o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) e o senador Weverton Rocha (PDT) na corrida pelo governo do Estado. Segundo o levantamento, Weverton tem 14,4% das intenções de voto contra 12,6% de Brandão. Em seguida aparecem Lahesio Bonfim (PTC), 9,8%; Roberto Rocha (sem partido), 9,4%; Edivaldo Holanda Jr (PSD), 8,9%; Josimar Maranhãozinho (PL), 6,1%; e Simplício Araújo (SD), 1,2%. Nenhum deles somou 20,4% e 17,4% não souberam responder. 

Em outro cenário, quando é retirado o nome do ex-secretário Simplício Araújo. A disputa fica ainda mais acirrada: Weverton tem 14,7%; Carlos Brandão, 13,1%. Em seguida Lahesio Bonfim, 10,1%; Roberto Rocha, 9,5%; Edivaldo Holanda Jr., 9,5%; Josimar Maranhãozinho, 6,8%. Nenhum, 19,8%. Não sabe, 16,7%.

ESPONTÂNEA

Em consulta espontânea, quando não é apresentado nomes ao entrevistado, Carlos Brandão lidera com 5,4%. Seguem o atual vice-governador o prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahésio Bonfim (4,5%); Flávio Dino (4,1%), Weverton (3,5%), Roseana Sarney (2%), Josimar de Maranhãozinho (1,4%), Roberto Rocha (1%), candidato de Flávio Dino (0,8%), Edivaldo Holanda Junior (0,4%), Eduardo Braide (0,4%), Carlos Lula (0,2%) e Felipe Camarão (0,2%).

Senado

Para senador, a pesquisa DataIlha mostra Flávio Dino fica em primeiro lugar com índice de 49,7%. Seguem o presidente da Federação Maranhense de Municípios do Maranhão (Famem), Erlanio Xavier, com 9,9%. Não votariam em nenhum 29% e não souberam ou não responderam, pontuou com 1,4%.

Em outro cenário, considera de Flávio Dino disputaria a vaga ao Senado com Lahésio Bonfim. O governador venceria com 46,2% e o prefeito de São Pedro dos Crentes ficaria com 20,3% das intenções de votos. Não votariam em nenhum chegou a 23,3% e não souberam ou não responderam, 10,2%.

Presidência

A pesquisa DataIlha também questionou os eleitores sobre a preferência para presidência, caso as eleições fossem hoje. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), aparece disparado em primeiro lugar, com 49,8% das intenções de votos. O petista mantém a liderança. que vem sido repetida nas demais pesquisas já realizadas.

Em segundo lugar, o presidente Jair Bolsonaro (PL), com 25,7%, que, diferente do petista, vem caindo nas pesquisas. Seguem o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, com 7,3%; o ex-juiz Sergio Moro, com 4,7%; o governador de São Paulo, João Dória, com apenas 1%. Não votariam em nenhum, ficou com 7,3% e não souberam ou não responderam, 4,4%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 8 e 11 de janeiro. Tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos e intervalo de confiança de 95%.

O Instituto de DataIlha ouviu 2 mil eleitores, estratificadas por município, gênero, faixa etária, grau de escolaridade, renda e religião. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o número 00422/2022.

Carlos Brandão recebe apoio de Flávio Dino e segue com pré-candidatura ao Governo

Após receber apoio do governador Flávio Dino, o atual vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, falou por meio das redes sociais que reitera o posicionamento de ser o caminho de continuidade das mudanças realizadas pelo Maranhão e, também, segue como pré-candidato ao Governo do Estado.

Segundo o vice-governador, ele seguirá firme e vai trabalhar pelo Maranhão.