Feirinha São Luís vai retornar neste domingo (13)

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa) anunciou nesta quarta-feira (9), a retomada das atividades da tradicional ‘Feirinha São Luís’ a partir deste domingo (13).

A retomada acontece cerca de quase dois meses após a suspensão das atividades. Na época, a Feirinha foi suspensa devido ao aumento de casos da Covid-19 e o surto de gripe em São Luís.

Desde o início da pandemia de Covid-19, a realização da Feirinha São Luís foi suspensa por três vezes. A primeira foi em março de 2020, a segunda vez em fevereiro de 2021 e a terceira, em janeiro de 2022.

A Feirinha São Luís é realizada todos os domingos na Praça Benedito Leite, no Centro, e oferece uma variedade de comidas regionais, produtos artesanais, além de atrações musicais.

A pesca do caranguejo no período de defeso gera multa e outras penalidades.

São Luís: Período de defeso encerra na terça, 8

Está proibida a caça e a comercialização do caranguejo-uçá em São Luís. Até a próxima terça- feira (8) a captura, o transporte e o comércio do caranguejo estão proibidos. Este é o terceiro de quatro períodos de defeso do ano, para garantir tempo para espécie se reproduzir na natureza.

Para não perder a freguesia que gosta do prato típico no Maranhão, donos de estabelecimentos que vendem o item se preparam antecipadamente para poder receber os clientes e oferecer o caranguejo.

Para que surta o efeito desejado, precisa haver fiscalização. O biólogo Alexandre Azevedo destaca o quanto o caranguejo-uçá é importante na manutenção do equilíbrio ecológico.

O caranguejo-uçá é uma espécie que apresenta uma importância fundamental para a ecologia dos nossos manguezais, diz o biólogo. “Eles escavam tocas subterrâneas e ajudam a oxigenar o solo e eles se alimentam de matéria vegetal, principalmente de folhas, acelerando o processo de decomposição dessa matéria orgânica e fertilizando esse solo”, frisou.

Além disso, essa espécie possui uma capacidade reprodutiva excepcional, completa o profissional. “Uma única fêmea coloca milhares de ovos e esses ovos vão se desenvolver em larvas que vão servir pra toda cadeia alimentar com uma diversidade incrível de peixes”, finalizou o biólogo.

Festival Maranhão de Sabores prorroga inscrições

O Festival Maranhão de Sabores prorrogou as inscrições para a primeira edição do evento. Voltado para restaurantes, lanchonetes e bares, as inscrições, que são gratuitas, podem ser feitas até domingo (13), às 23h59. Os estabelecimentos irão participar com pratos, petiscos e lanches criados especialmente para o festival.

A proposta é que todos os inscritos participem com receitas originais, exclusivas e que busquem usar os melhores ingredientes da cultura maranhense. A inscrição é destinada a estabelecimentos da Grande Ilha – (São Luís, Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar – e pode ser feita no site.

A votação popular inicia também neste domingo (13) e ocorrerá até o dia 6 de março. Para eleger e premiar os melhores bares, restaurantes e similares, foram elencadas quatro categorias: Prato, Petisco, Sanduíches e Massas e Melhor Atendimento.

Durante o período de realização, o público terá a oportunidade de degustar os pratos e votar em seus preferidos, valorizando o atendimento e a gastronomia maranhense.

Cada categoria terá premiação em dinheiro para os três primeiros lugares. No total, serão dados R$ 80 mil em premiações. A votação do júri técnico ocorrerá entre os dias 8 e 13 de março de 2022 e a premiação será realizada neste mesmo mês.

Chef maranhense concorre em premiação nacional de gastronomia

O chef maranhense Rafael Bruno está concorrendo ao prêmio de Melhor Chef na categoria Gastronomia Nacional na premiação Prêmio Dólmã, que ocorrerá de 1º a 3 de dezembro em Belém (PA).

Rafael é um dos profissionais do programa Formando e Cozinhando, do Governo do Estado, que capacita jovens na área da culinária. Além disso, ele é curador da Mostra Gastronômica no Festival Cultural do Brasil em Viena, na Áustria.

“Hoje posso dizer que tenho família nos quatro cantos do nosso país por toda a minha trajetória até aqui, por onde caminhei com meus saberes e sabores do meu Estado. Com isso é uma grande honra poder representar o Maranhão nesse lindo evento”, destaca o chef, que tem olhar voltado para a utilização consciente dos produtos na culinária.

Além de concorrer, Rafael também vai ministrar uma palestra falando sobre “Gastronomia e os nossos Biomas”. “É uma gastronomia que vai além das panelas. Que sai dos restaurantes e chega nas comunidades com um poder transformador. Apoio grandes projetos como o Rede Mulher do Maranhão, que trabalha diretamente com o coco do babaçu e seu aproveitamento sustentável”, explica o chef.

A votação que o maranhense está concorrendo fica aberta até o dia 2 de dezembro pela internet.

MasterChef Brasil terá conteúdos exclusivos para a rede digital

Faltando pouco mais de um mês para a estreia da nova temporada do MasterChef Brasil, que será exibida a partir de 6 de julho, o programa anunciou que terá uma apresentadora da web. Quem acompanhará os bastidores do talent show é Debora Gomes, tiktoker com mais de 11 milhões de curtidas na plataforma. Ela será responsável por produzir conteúdos exclusivos para o digital.

Pelas redes sociais, o MasterChef explicou que a influenciadora será a porta-voz do público na cozinha mais amada do Brasil. Além disso, em uma série de vídeos, ela conta que é apaixonada pelo programa, que adora se envolver e torcer pelos participantes, além, é claro, de dar boas risadas com o trio de jurados. 

Fã de boa comida, Debora começou no aplicativo de vídeos compartilhando trabalhos de fotografia, mas logo suas receitas, que pregam o veganismo popular, barato e acessível, começaram a fazer sucesso. Um dos primeiros conteúdos a viralizar, com quase 30 mil curtidas e mais de 192 mil visualizações, foi um prato de berinjela empanada, farofa de banana e vinagrete. 

Desde então, o conteúdo gastronômico só aumentou e ela já soma mais de 756 mil seguidores. “O que eu mais gosto de cozinhar? Normalmente você vai me ver fazendo uma comidinha da terra, feita com ingredientes mais naturais, muito amor e carinho. Uma comida afetiva, mas sempre com muito tempero”, explica. 

Medidas de infraestrutura mudam cenário do Centro Histórico de São Luís

O Centro Histórico de São Luís possui um conjunto arquitetônico com aproximadamente 4 mil imóveis, remanescentes dos séculos XVII, XVIII e XIX. Cenário que fascina maranhenses e turistas pela memória viva que está impressa nos antigos casarões e sobrados.

Para preservar esse robusto acervo histórico, secretárias e órgãos do Governo do Maranhão vêm realizando obras de reforma e revitalização de edificações e logradouros da região secular. Destaque para o programa estadual Nosso Centro, que tem por objetivo garantir o desenvolvimento sustentável, conservação, movimentação econômica e valorização da história da capital.

Edifício João Goulart

Prédio secular que estava abandonado, hoje é sede de órgãos do Governo

Entregue pela Secretaria de Estado de Governo (Segov) como a primeira obra do programa Nosso Centro, a obra de reforma do Edifício João Goulart garantiu um novo visual e nova movimentação para o ‘coração’ do Centro Histórico. Construído em 1957 e localizado na Avenida Pedro II, próximo à Igreja da Sé e ao Palácio dos Leões, o Edifício João Goulart estava abandonado há cerca de três décadas e foi totalmente revitalizado pela gestão estadual. A agora o prédio abriga secretarias e órgãos estaduais, fator que ampliou o fluxo de pessoas e a movimentação econômica na região central da cidade.

Reffsa

Atrativo cultural e do turismo, novo prédio da Reffsa atrai milhares de visitantes

Com investimentos na ordem de R$ 7,5 milhões, detalhada obra de restauração transformou a antiga estação ferroviária da Reffsa, na Avenida Beira-Mar, em um complexo cultural que reúne, em um só lugar, museu ferroviário e portuário, um polo tecnológico para desenvolvimento de startups, dentre outros atrativos. Desde que foi aberto pela Secretaria de Estado da Cultura (Secma), o número de visitações ao local só reduziu por conta da pandemia da Covid-19.

Praça dos Poetas

A Praça dos Poetas virou cartão postal do bairro e ponto de convivência

Localizada na Av. Dom Pedro II, a Praça dos Poetas se junta a outros espaços de lazer e cultura da capital revitalizados. A praça é uma homenagem a dez escritores e poetas maranhenses: Ferreira Gullar, Catulo da Paixão Cearense, Nauro Machado, Sousândrade, Bandeira Tribuzzi, José Chagas, Gonçalves Dias, Maria Firmina, Dagmar Destêrro e Lucy Teixeira. No local há também um painel rotativo, que a cada mês celebra a obra de outros literários, além de um mirante com uma das vistas mais bonitas da cidade. O espaço tem 1.130 m² e possui quiosques, banheiros públicos, tratamento paisagístico e detalhes arquitetônicos que remontam o colonial e o moderno.

Novo prédio da Jucema

Novo prédio da Junta Comercial do Maranhão em imóvel todo revitalizado

Todo reformado, estruturado e equipado, preservando as características históricas dos seus quase 200 anos de história, o prédio que abriga a nova sede da Junta Comercial do Estado do Maranhão (jucema), localizado ao lado da Praça dos Poetas, conta agora com elementos modernos e itens de acessibilidade. O local que já foi moradia de Ana Jansen, personagem icônica da era da escravatura no Maranhão, será espaço de apoio ao empreendedorismo e negócios.

Museu de Artes Visuais

O museu foi todo revitalizado e ganhou, entre outros, nova iluminação

Situado na Rua Portugal, o Museu de Artes Visuais (MAV) também é um dos novos atrativos da região histórica. Fechado por anos, o casarão do século XIX passou por diversas intervenções até a finalização da obra. O museu foi completamente revitalizado, e agora conta com nova iluminação, climatização, fachada de azulejos restaurada, novo auditório e elevador para acessibilidade.

Museu Cafua das Mercês

Conhecido como Museu do Negro, prédio também teve reforma geral

Antigo depósito de escravos comercializados no Maranhão durante o trágico período escravocrata brasileiro (1550 – 1888), a Cafua das Mercês – conhecido na década de 1970 como Museu do Negro –  foi totalmente restaurado como parte das ações do programa Nosso Centro. Localizado na Rua Jacinto Maia, o espaço abriga um importante acervo da religiosidade e da cultura negra, como estatuetas, cabaças, cachimbos e vestimentas.

Projeto Cores da Cidade

Imóveis do bairro ganham cores com o projeto

Realizado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secma), o projeto Cores da Cidade está propiciando em sua fase inicial nova pintura e melhoramento da fachada e 31 imóveis de ruas localizadas entre a Praça Santo Antônio. A ideia é estimular a preservação do patrimônio e incentivar as pessoas a residirem no Centro.

Aluguel no Centro

Gerido pela Segov, o projeto Aluguel no Centro, que visa garantir o pagamento de 80% do pagamento do aluguel de moradias históricas e que estejam em condições de habitação na região do Centro Histórico de São Luís. O processo para ser um locatário beneficiado pelo programa se dá através da inscrição do imóvel pelo site aluguelnocentro.ma.gov.br, entrega da documentação necessária e laudo do imóvel realizado pela equipe de engenharia da Segov. Para os que querem morar no Centro, as inscrições foram abertas na última segunda-feira (3) e podem ser realizadas no site aluguelnocentro.ma.gov.br.

NOVIDADES

Mesmo com a pandemia do novo coronavírus, outras obras estão em curso, e em breve o centro histórico de São Luís contará com outras novidades. O IEMA Gastronomia e o Shopping Rua Grande estão com obras aceleradas.

IEMA Gastronomia e Restaurante Escola

O prédio em obras será um restaurante escola de Gastronomia

A primeira unidade do Instituto de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) voltado para a Gastronomia está sendo implantado no Centro Histórico. A nova unidade IEMA funcionará como restaurante escola: os alunos terão aulas práticas e serão produzidas refeições no restaurante que funcionará no andar térreo do prédio. No IEMA Gastronomia serão disponibilizados cursos variados, como cozinheiro, garçom e comidas típicas maranhenses, divididos em dois módulos: Cursos de Formação Inicial e Continuada (FICs) e cursos técnicos. O prédio do IEMA Gastronomia fica localizado na Rua do Egito.

Shopping Rua Grande

Obras de prédio na Rua Grande que vai ser um shopping popular

O Centro Histórico de São Luís vai receber, em julho deste ano, o Shopping Rua Grande, que oferecerá o conforto e a segurança de um shopping convencional, ao mesmo tempo em que terá um andar especial dedicado para a difusão da cultura maranhense. A obra está sendo arquitetada por uma equipe de profissionais qualificados e por meio de incentivo do Programa Adote um Casarão, do Governo do Maranhão. Executado pela Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), o programa Adote o Casarão disponibiliza, por meio de editais, imóveis pertencentes ao Governo do Maranhão, no Centro Histórico de São Luís, que estejam sendo subutilizados ou estejam vazios. O adotante, em contrapartida, deve revitalizar e manter o imóvel e fazer uso exclusivo para as atividades indicadas no contrato.

Estudos avaliam impactos para a saúde de uma alimentação sem carne e laticínios

Mais e mais pessoas estão comendo refeições vegetarianas e veganas. Pesquisadores buscaram evidências sobre o impacto para a saúde. O número de pessoas que diminuíram o consumo de carnes e laticínios ou cortaram completamente esses alimentos de suas dietas tem aumentado na última década.

Um estudo recente com 48 mil pessoas com mais de 18 anos comparou a saúde de quem come carne, pescetarianos (aqueles que comem peixes, ovos e laticínios, mas não carne de outros animais) e vegetarianos, incluindo alguns veganos (aqueles que não consomem nenhum tipo de carne, nem produtos derivados de animais, como mel, leite, gelatina ou ovos).

Eles descobriram que as pessoas com dietas veganas e vegetarianas têm menor risco de doença cardíaca, mas maior risco de derrame, em parte, possivelmente, devido à falta de vitamina B12. Aqueles que não comiam carne registraram 10 casos a menos de doenças cardíacas e três derrames a mais a cada mil pessoas, em comparação com carnívoros.

A pesquisadora Tammy Tong, epidemiologista nutricional da Universidade de Oxford, diz que o maior risco de derrame hemorrágico – quando há sangramento em uma parte do cérebro – pode ter várias razões.

Embora o colesterol baixo proteja o organismo contra doenças cardíacas e derrames isquêmicos, existem evidências de que os baixos níveis de colesterol (associados à dieta vegana e vegetariana) podem estar associados a um pequeno risco de derrame hemorrágico.

Mas é fácil obter a quantidade “minúscula” que nosso organismo precisa de vitamina B12 a partir da chamada levedura nutricional ou de alimentos fortificados – aqueles enriquecidos com nutrientes – como o leite vegetal. Em países onde os alimentos não são enriquecidos com vitamina B12, os especialistas recomendam suplementos vitamínicos. As crianças e os bebês alimentados com dieta vegana também precisam ter volumes suficientes de vitamina B12 garantidos.

Outra preocupação comum para quem está tentado a fazer a transição é se uma dieta vegana fornece proteína suficiente. O leite de soja, por exemplo, tem aproximadamente a mesma quantidade de proteínas que o leite de vaca. O recomendado é que se coma muitas frutas e legumes de diferentes cores, nozes e castanhas, cereais integrais, feijões e lentilhas, além de sementes de chia, cânhamo e linhaça, que contêm ômega 3.

LONGO PRAZO

Ainda pode demorar alguns anos até que tenhamos resultados de pesquisas sobre a forma como a dieta vegana afeta nossa saúde, já que isso exige estudos controlados. Mas, apesar da falta de dados específicos sobre a dieta vegana, os pesquisadores dizem que as evidências existentes sobre dieta e saúde geralmente indicam algumas tendências.

Embora as evidências não sejam muito fortes para a dieta vegana especificamente, ela parece estar ligada a uma saúde melhor em geral. Em termos de densidade óssea, fraturas podem ser mais comuns devido a uma possível menor ingestão de cálcio e de vitamina B12.

Veganos têm um índice de massa corporal mais baixo (IMC), o que significa melhores níveis de colesterol e pressão arterial mais baixa, o que é um importante fator de risco para doenças cardíacas. A dieta vegana é muito parecida com qualquer outra. Ou seja, ela pode ajudar a diminuir o risco de doenças ou aumentá-lo, dependendo dos alimentos que você consome.

Há muito para se pesquisar antes de termos certeza se o veganismo pode ser mais saudável do que qualquer outra dieta — especialmente quando se trata de efeitos à saúde a longo prazo. Enquanto isso, os especialistas aconselham que a melhor dieta vegana é aquela que inclui muitas frutas e vegetais, suplementos de vitamina B12 e menos frituras e alimentos processados.

A pimenta é um divisor de águas na culinária, pesquisas recentes mostram que, consumida moderadamente, traz bons efeitos para o corpo.

Estudo comprova os benefícios da pimenta na alimentação

Está entre um dos temperos mais conhecidos e amados do mundo. A pimenta é também aquele que causa certo receio nas pessoas. Será que a pimenta faz mal à saúde ou não há maiores consequências em incluí-la na dieta?A resposta a essa questão não é tão simples, por isso preparamos esse post para esclarecer uma dúvida de tantas pessoas. Entenda a seguir se realmente a pimenta faz mal à saúde, quais são os benefícios e riscos trazidos pelo alimento.

Não existe base científica que permita dizermos que a pimenta faz mal à saúde. No entanto, a exemplo de tantos outros alimentos, ela traz alguns riscos para o corpo. Pimentas mais ardidas e fortes podem causar inflamações. De acordo com o tipo e com a quantidade ingerida, pode haver uma agressão ao aparelho digestivo. Além disso, a boca também pode sofrer consequências em seus tecidos internos.

Há outro efeito colateral negativo que a pimenta pode causar, embora isso não seja tão comum. Ao comermos algo muito apimentado, a água da parede do intestino tende a se soltar, o que torna as fezes mais líquidas. A ideia de que pimenta causa hemorroida, apesar de bastante difundida, é incorreta. O que o alimento pode fazer é irritar a área em que já exista uma hemorroida.

BENEFÍCIOS PARA O ORGANISMO

Perceba que a pimenta pode gerar pequenos problemas, mas é um exagero dizer que ela faz mal à saúde. Aliás, o alimento traz muito mais impactos positivos para nosso organismo. Pimentas são fontes de vitaminas C e E, além de substâncias que são transformadas em vitamina A dentro do fígado.

Essas e outras propriedades da pimenta fazem com que ela tenha um efeito termogênico, de aceleração do metabolismo. Além disso, ela traz bem-estar por sua ação anti-inflamatória que alivia dores fortes causadas por algumas doenças. Outros benefícios importantes da pimenta são o seu efeito antioxidante, o impacto favorável sobre o fluxo sanguíneo e o fortalecimento do sistema imunológico.

EVITE EXCESSOS

Embora proporcione vários benefícios ao organismo, a pimenta deve ser consumida com moderação. Lembre-se que qualquer alimento, quando consumido excessivamente, pode ser prejudicial à saúde. No caso da pimenta, a própria ardência já funciona como um sinal de alerta para prevenir os excessos, mas vale ficar de olho para não exagerar na dose! Se você passar do ponto em algum momento, a dica é tomar leite integral para diminuir a sensação ruim, pois a pimenta se dissolve na gordura.

A moderação no consumo da pimenta deve ser ainda maior para pessoas com problemas gástricos, tais como gastrite e úlcera. Isso por conta do efeito agressivo que o alimento pode ter sobre as paredes estomacais. Está bem claro que a história de que pimenta faz mal à saúde não deve ser encarada como verdade absoluta. A dica de evitar excessos, que vale para qualquer tipo de alimento, é uma das formas de cuidar bem do corpo.

Foto: Vanderson Plínio

Gastronomia típica do Maranhão

Foram tantos os temperos e influências de europeus, índios, africanos e outros povos, que a culinária maranhense só poderia dar no que deu: uma conjunção exuberante, única, inigualável de sabores e receitas na medida para surpreender. Nessa mesa farta existe, é claro, um carro chefe. É o celebrado arroz de cuxá, que vai muito bem com frutos do mar e tem como principal ingrediente uma folha azedinha chamada vinagreira, além de camarão seco e gergelim.

Fonte: Viajento

Mas o cardápio vai muito além e é difícil dizer qual dos pratos maranhenses melhor satisfaz esse exigente sentido chamado paladar. Caldeirada e torta de camarão, de sururu e caranguejo, peixada à base da nobre pescada, anchova na brasa, encontrada nos bons restaurantes da cidade de Raposa, São Luís e Barreirinhas.

O camarão grelhado preparado em Atins. E os sucos. E as iguarias como os doces de espécie típicos de Alcântara, receita à base de coco de herança portuguesa. E os doces cristalizados, em massa ou calda, à base de frutas regionais, como caju, buriti, bacuri, jaca e abacaxi.

Foto: Meireles Júnior

Abacaxi que, no Maranhão, especificamente os da região de Turiaçu, município da pré-amazônia maranhense, é muito admirado pelo seu sabor e baixa acidez. Para quem visita o sul do Maranhão, o sabor fica por conta das carnes, com destaque para a carne de sol, que quando preparada com arroz, se transforma na deliciosa Maria Isabel. E, é claro, os churrascos

Foto: Divulgação

Museu da Gastronomia reabre as portas em São Luís

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (Setur), decidiu reabrir o Museu da Gastronomia Maranhense e a Central de Atendimento ao Turista (CAT) hoje, segunda-feira (18).PUBLICIDADE

Os espaços já receberam a Vigilância Sanitária e estão aptos a funcionar, desde que sigam as recomendações sanitárias como uso de máscaras e entrada limitada até cinco pessoas por vez no Museu e duas pessoas no CAT .

Para Saulo Santos, Secretario Municipal de Turismo, é necessário manter aberto espaços como esses para que São Luís esteja sempre preparada para receber turistas. “É importante manter o CAT e o Museu abertos porque estamos recebendo turistas na cidade o tempo todo. Temos que estar preparados e oferecer um serviço de segurança e qualidade para quem nos visita. A equipe já está preparada e as recomendações da Vigilância já foram seguidas”. Saulo Santos, Secretário Municipal de Turismo.

No Museu da Gastronomia Maranhense o visitante poderá encontrar um acervo rico sobre a culinária maranhense. Além disso, ele pode fazer um tour guiado por um profissional especializado do turismo, onde saberá mais sobre a história, cultura e tradições dos maranhenses.

No Museu também funciona o Centro de Culinária Típica, local onde ocorrem oficinas de gastronomia com produtos maranhenses e são abertas ao público.

Já o Centro de Atendimento ao Turista (CAT) pode passar informações sobre o Destino São Luís para todos os turistas. Também são distribuídos mapas da cidade e apontados os pontos turísticos e roteiros pelos quais todos podem visitar.

Ao passar pelo CAT, os turistas são encaminhados para o tour no Museu da Gastronomia, dando sequência e maior evidência à nossa cultura e gastronomia.