Ponte do São Francisco apresenta rachaduras e asfalto cedendo

A ponte José Sarney, popularmente conhecida como Ponte do São Francisco, apresenta rachaduras e o asfalto está cedendo na cabeceira. O alerta foi feito por especialista, que recomendou intervenção para evitar danos mais severos. A estrutura foi construída na década de 1970.

“A situação não oferece grandes riscos, mas precisa ser melhor avaliada e aponta as possíveis causas do problema”, diz o engenheiro especialista em trânsito, Francisco Soares.

Ele explica que a falta de manutenção adequada acaba sendo uma das principais causas de acidentes, e é uma situação observada tanto na capital quanto em rodovias que cortam o estado.

Chuva alaga BR-316 que pode se romper

A forte chuva que atingiu as regiões do Vale do Pindaré e Alto Turiaçu, no Maranhão, no fim de semana, provocaram estragos na BR-316. O temporal, que durou por cerca 10h, fez com que os buracos que já existiam na rodovia ficassem maiores, o que causou dificuldades para os motoristas e muita lentidão no tráfego de veículos.

Em outro trecho da BR-316, entre as cidades de Araguanã e Zé Doca, houve intenso alagamento em uma área em que deveria haver uma ponte, mas há bueiros. Por causa disso, havia o risco de rompimento de um trecho da rodovia, sendo que uma cratera chegou a se formar no acostamento da BR.

Segundo um morador da região, a situação na área ficou complicada para quem trafegava em meio ao temporal. “Olha gente, estou fazendo esse vídeo aqui na BR-316. A situação está muito difícil para os caminhoneiro e todos que trafegam na BR. A situação está muito difícil, porque a qualquer hora a estrada pode ser cortada. A estrada está toda rachando, porque a água foi muito forte e engoliu uma parte aqui”, afirmou o morador.

Durante a chuva, houve muitos pontos da rodovia em que a água passou por cima da estrada, porque os bueiros não aguentaram a vazão, e a água acabou transbordando. Apesar do alagamento, muitos motoristas se arriscaram, passando pelo local sem saber se havia buracos ou não.

Outro ponto complicado da BR-316 é no município de Nova Olinda, que também fica perto de Araguanã. Na região, há pelo menos três pontos de risco, onde a rodovia pode se romper a qualquer momento. Em um dos trechos, surgiu um buraco enorme no meio da pista, e os motoristas estão tendo que passar somente por um lado da via.

Os motoristas que forem trafegar na BR-316, entre Santa Inês, Nova Olinda e Zé Doca, tem que ter muito cuidado, principalmente os caminhoneiros.

Universitários denunciam falta de estrutura da Casa do Estudante da UFMA

Universitários que moram na Casa do Estudante, situada no campus da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís, estão sofrendo com as condições do local. Eles reclamam do abandono da Casa do Estudante da instituição. Dentre os problemas estão rachaduras nas paredes e na fachada, além de infiltrações.

Segundo o estudante do curso de Medicina, Aristóteles Silva, as pessoas que vivem no espaço já solicitaram engenheiros, a fim de avaliarem as condições do local, mas até agora nenhum retorno foi dado a eles. Além disso, o estudante também reclama da falta de segurança.

“É mais um problema estrutural. O prédio ele é cheio de rachaduras. A gente já solicitou engenheiros da universidade para que viessem analisar o prédio, a estrutura do prédio. Problemas também de móveis, tem um fogão de oito bocas e só funciona uma boca em uma casa que tem 78 moradores, que todo mundo usa aquelas cozinhas e também nós estamos com um problema de segurança. Teve um tiroteio há mais ou menos três semanas na nossa área porque tinha um pessoal furtando a fiação do para raio de cima”, revelou Aristóteles Silva.

O prédio passou a ser usado pelos universitários em dezembro de 2018. Muitos estudantes são do interior do Estado e preferiram não falar por medo de serem perseguidos. O Aristóteles é estudante do 3º período de Medicina, natural da cidade de Coelho Neto, a 385 km da capital, e luta pela melhoria do espaço coletivo, onde deve morar por alguns anos até se formar.

“A gente nota que universidade está reformando vários prédios, inaugurando vários prédios e o nosso prédio eles não estão ligando pra gente, e a gente vê uma clara agressão aos direitos humanos, ao direito constitucional, dos direitos sociais, aos próprios penais, que é um decreto que garante assistência estudantil de qualidade pra todos. A universidade exige demais da gente, mas não dá o retorno pra gente. Então, é uma situação muito complicada que a gente está vivendo aqui na Casa de Estudante do campus Bacanga”, desabafou o estudante.

Por meio de nota, a UFMA disse que recebeu as residências universitárias em péssimas condições e que desde então, realiza requalificação interna dos quartos, comprou colchões e máquina de lavar. Disse ainda que mantém agenda de diálogo, planejamento e de atendimento às demandas apresentadas pelos estudantes.

Moradores do Araçagi reclamam da falta de infraestrutura e segurança

Quem mora no bairro Araçagi denuncia ter que conviver com assaltos constantes e atribui o grande número de casos à falta de estrutura das ruas. Em alguns pontos, o mato toma conta. Ruas estão esburacadas sem asfalto e iluminação.

Os assaltos regulares obrigam moradores a se protegerem e cada um faz o que pode. Em um caso, uma mulher foi alertada pelos seu cachorros e conseguiu escapar de um assalto. Em outra situação, um policial federal saía de casa e, ao tirar o veículo da garagem, foi abordado por suspeitos que fizeram ele e a família reféns.

Por conta destas situações, moradores cobram segurança com policiamento regular na área, manutenção das vias públicas e fiscalização de terrenos abandonados, de festas e espaços de eventos não autorizados.

O impasse na cobrança desses direitos é a indefinição do território. O Araçagi está dividido entre os quatro municípios da Grande Ilha – se estende por São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e também, Raposa. Ao cobrarem seus direitos, recorrendo às quatro prefeituras, os moradores não conseguem encontrar a autoridade competente para assumir os problemas e solucioná-los.

Segundo a Polícia Militar, o bairro tem cobertura de duas viaturas, além de policiamento em motocicletas, que diariamente executam a segurança preventiva.

A prefeitura de São José de Ribamar justificou que todas as ruas do bairro, inseridas na competência do município, estão incluídas em programas de infraestrutura e há vias com serviços de pavimentação asfáltica em andamento.

A prefeitura de São Luís garantiu que enviará equipe da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) ao local para levantamento das necessidades de infraestrutura, que sejam de sua responsabilidade. As prefeituras de Raposa e Paço do Lumiar não se manifestaram sobre as reclamações.

Mais Asfalto melhora tráfego em Santo Amaro

O Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), segue avançando com as ações do Programa Mais Asfalto em todo Maranhão. Em Santo Amaro, as obras de pavimentação da estrada que liga o povoado Rio Grande à MA-320 estão em ritmo acelerado. Com previsão para ser concluída neste mês de novembro, a pavimentação da via vai melhorar a trafegabilidade e a mobilidade urbana, além de impulsionar o turismo na região dos Lençóis Maranhenses.

Para o secretário de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano, Márcio Jerry, a obra é estratégica para o fomento do turismo e o incremento da economia da região.

“O investimento do Governo do Estado em infraestrutura de estradas e vias garante a melhoria das condições de vida da população, estimula o turismo, a criação de novos negócios, mais oportunidades e aumenta os empregos diretos e indiretos; e é isso que está sendo registrado na região dos Lençóis, principalmente em Santo Amaro, que é uma referência turística do Maranhão, uma das mais belas cidades do Brasil”, destacou.

Para o prefeito de Santo Amaro, Leandro Moura, as ações do Programa Mais Asfalto vão garantir mais desenvolvimento para a cidade. “O acesso será facilitado com a pavimentação, o tempo de viagem até o centro da cidade vai diminuir, e isso implica em melhorias para todos, desde o pequeno agricultor e empreendedor até para os grandes comerciantes”, afirmou.

Serão 2 km de asfalto que ligará o povoado Rio Grande a MA-320 e a outras localidades do município. Atualmente, os trabalhos de pavimentação foram finalizados, a via está recebendo a implantação de drenagem superficial com meio-fio e sarjetas para garantir o escoamento adequado das águas pluviais e, consequentemente, a durabilidade do asfalto.

Mais obras

Além do asfaltamento, a Secid está reformando o prédio da Câmara de Vereadores do município de Santo Amaro e vai iniciar a pavimentação do trecho que vai do povoado de Mirinzal até a Lagoa do Cassó, em Primeira Cruz.

Trecho de trânsito no Anel Viário terá 5 dias de interdição

A Prefeitura de São Luís segue com as obras de recuperação do Anel Viário – Fonte do Bispo (Centro) e a partir desta quinta-feira (28) iniciará obras da nova etapa de drenagem. Os serviços serão executados pela Secretaria Municipal de Inovação, Sustentabilidade e Projetos Especiais (Semispe), responsável pela reforma do espaço.


Para que os trabalhos sejam realizados, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), fará a interdição de um trecho do Anel Viário – Fonte do Bispo, na altura do Bar do Kabão.

A interdição deve durar cinco dias, tempo previsto para a realização da obra de drenagem. O local corresponde ao retorno de veículos que circulam no sentido de quem vem do bairro Areinha (Rádio São Luís), indo para a área Itaqui-Bacanga. Com a interdição, esse fluxo de veículos será transferido para o trecho em frente à Capela de São Pedro.

A ação de mudança do retorno será feita com a retirada dos blocos de concreto (gelo baiano) do local e liberação temporária da via. Agentes de trânsito da SMTT serão destacados para o local para orientar os motoristas. Essa orientação será feita tanto próximo ao local da obra, no trecho que será usado pelos condutores que circulam no sentido Mercado do Peixe/Itaqui-Bacanga, quanto no retorno provisório em frente à capela.

As obras da Fonte do Bispo integram o Programa de Revitalização do Centro Histórico de São Luís e tem como objetivo a requalificação da região do Anel Viário, reconstruindo o local com áreas de lazer, de contemplação, pequenos comércios e transporte de pessoas. Além da obra física, o projeto compreende, também, a capacitação e realocação dos comerciantes informais que atuam no local.

Iniciada construção das areninhas metropolitanas

Em breve, moradores da Região Metropolitana da Grande São Luís serão beneficiados com espaços para a prática de futebol. Isso pelo fato de o Governo do Estado, por meio da Agência Executiva Metropolitana (AGEM), ter criado o projeto Areninhas Metropolitanas, que inclui as cidades de Raposa, Icatu, Cachoeira Grande, Presidente Juscelino e Rosário. 

As Areninhas Metropolitanas são campos de futebol society. Ao todo, serão implantados cinco espaços como estes, um em cada uma das cidades citadas, compostos por campo com cobertura de grama, arquibancada, alambrado com altura de 4 metros, além de iluminação específica para esse tipo de espaço. A área total é de 1.122m². 

Segundo o presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa, os municípios de Raposa, Icatu, Cachoeira Grande, Presidente Juscelino e Rosário foram escolhidos após a realização de um levantamento. “São municípios pequenos, com exceção de Rosário, nos quais verificamos a demanda por esses tipos de espaços”, justificou. 

Os serviços de construção das cinco Areninhas Metropolitanas já foram iniciados. “Em Raposa, entretanto, os trabalhos estão mais avançados, estando, inclusive, na fase de construção de arquibancadas”, afirma Lívio Corrêa. 

O prazo para execução da obra, nos cinco municípios, é de 90 dias.

São Luís: Anel Viário é interditado para obras

Deste sábado (2) até domingo (3), trecho do Anel Viário que irá receber serviços de drenagem ficará interditado. O trecho corresponde ao retorno de veículos que circulam no sentido Beira-Mar para a Avenida das Cajazeiras.

Durante a intervenção, o trajeto de veículos seguirá pela Avenida Vitorino Freire (Areinha), retornando sentido Avenida Cajazeiras pelo Ceprama, até o final da intervenção.

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) destacou agentes em pontos estratégicos, organizando o fluxo de veículos e orientando condutores. A obra é da Secretaria Municipal de Inovação, Sustentabilidade e Projetos Especiais (Semispe).