Polícia interroga homem que espancou mulher até a morte

O interrogatório de Francisco de Oliveira, 70 anos, está ocorrendo esta manhã, na Delegacia Especial da Mulher (DEM). O homem é apontado por matar a esposa, Sandra Cristina de Sousa, de 57 anos, por espancamento. O crime ocorreu em Balsas, no sábado (20), sendo registrado pelas câmeras de segurança da fazenda do casal, ocasião em que ele tentou fugir e foi preso.

O caso chocou o município pelos requintes de crueldade utilizados pelo suspeito. Francisco utilizou um pedaço de madeira, blocos de concreto e uma faca para matar a esposa. O vídeo, gravado pelas câmeras da fazenda, mostram ainda ele retornando ao local e aplicando golpes contra a mulher, que já estaria morta.  

Os elementos usados no assassinato estão com a polícia e serão periciados no Instituto de Criminalística (Icrim), de Imperatriz. A polícia solicitou ainda exame cadavérico e vai concluir o auto de prisão em flagrante. As investigações devem ser concluídas em até 10 dias pela DEM.

FEMINICÍDIO

O crime é tratado como feminicídio, quando a mulher pe morta pela sua condição de gênero. Outra situações estão sendo levantados pela investigação. Só este ano, quatro mulheres foram mortas no Maranhão. Um dos casos foi registrado como feminicídio. Os crimes ocorreram na Região Metropolitana de São Luís.

De janeiro a dezembro de 2020, foram 60 casos de feminicídio no estado, segundo a Secretaria de Segurança do Maranhão (SSP-MA). No mesmo período de 2019, o estado contabilizou 48 casos. Na Grande Ilha, o total de ocorrências corresponde a 12 feminicídios no período.

Devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e as medidas de distanciamento social, houve um aumento destes casos em 2020. O mês de maio, quando também foi decretado o lockdown nos quatro municípios que integram a Grande Ilha, teve um número maior de registros no ano.