Programa Maranhão Verde vai plantar mais de 60 mil mudas em nova etapa

Com ações na Baixada Maranhense, o programa Maranhão Verde inicia nova fase com a plantação de mais de 60 mil mudas e geração de emprego para mais de 400 famílias produtoras. Criado para incentivar projetos de conservação e recuperação ambiental, o programa concede bolsas financeiras para pessoas que ajudem a preservar o meio ambiente. Serão quatro municípios da Baixada contemplados.

Os participantes recebem capacitação ambiental, social, educacional, técnica e profissional. Cada família vai receber a Bolsa Maranhão Verde, no valor de R$ 300 bimestrais. Em vigor desde 2017, o programa já beneficiou mais de 452 famílias. Nesta fase, as cidades beneficiadas são: Pinheiro, Penalva, Palmeirândia e Santa Helena.

O secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema), Diego Rolim, pontua que a efetivação das políticas públicas ambientais perpassa pela produção e plantio de mudas, com fins a recuperar áreas degradas. “São áreas que foram prejudicadas  pelas  queimadas e com a iniciativa, focamos a recuperação e preservação da flora e corpos hídricos, por meio da conscientização e educação ambiental de modo amplo”, explica.

Mais verde

O primeiro projeto do Maranhão Verde foi executado no Parque Estadual do Mirador, por meio do Projeto Berço do Rio Itapecuru, com a participação de 189 famílias do parque. Atualmente, o programa é realizado no Parque Estadual do Bacanga, com o projeto Florestas Protetoras de Mananciais, destinado à conservação e recuperação das matas ciliares e áreas de recarga do parque, com foco nas regiões do reservatório do Batatã e do Rio Prata.