Representantes da ONU Mulheres reúnem com lideranças de movimentos sociais e gestão pública no Maranhão

Ccomitiva da ONU Mulheres debateram com representantes da Secretaria de Estado da Mulher (Semu), para tratar do projeto ‘Direitos Humanos de Mulheres Indígenas e Quilombolas: Uma questão de Governança’. A iniciativa tem como foco apresentar a proposta e debater as bases do projeto, de acordo com as necessidades e demandas sugeridas por lideranças femininas.

A presidente do Conselho de Estado de Igualdade Racial, Jacinta Maria, ponderou questões como acerca da coordenação do projeto e escolhas dos municípios. “O estado é composto por 80% de negros e é formado por municípios como Alcântara, que possui mais de 100 comunidades quilombolas. Precisamos encontrar a melhor forma de fazer esse diagnóstico’’, disse.

O projeto tem como premissa ser formatado por mulheres indígenas e quilombolas para a reivindicação de direitos e busca por soluções aos problemas enfrentados por elas no dia a dia. O encontro, na Casa da Mulher Brasileira, Jaracati, nesta quinta-feira (4), teve presenças de vários representantes dos movimento sociais e do Governo do Estado.  

Representando a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), Sônia Guajajara, elogiou a iniciativa. “Quando vemos um projeto assim, temos anseio em entender e vamos com sede ao pote para fazer o detalhamento”, pontuou. Representando mais de cinco mil comunidades quilombolas, Maria Nice, da Aconerug, agradeceu o lugar de fala e destacou a importância das mulheres indígenas e quilombolas serem ouvidas na construção do projeto.