Rodrigo Pacheco prega independência do Senado, mas frisa que terá atenção às pautas do Governo Federal

Eleito novo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, do DEM-MG, afirmou em sua fala, que vai reunir esforços para votação das matérias de interesse do Poder Executivo. Enfatizou que prega atuação independente do Senado e diálogo com demais instituições. Pacheco tem 44 anos e está em seu primeiro mandato no Senado.

Rodrigo Pacheco teve apoio da bancada do PT, do então presidente da casa, Davi Alcolumbre e do presidente Jair Bolsonaro

“Ao Poder Executivo, dedicaremos parte significativa de nossos vigores, fiscalizando, deliberando as suas proposições, dialogando para construir o futuro da nação. Porém, dele exigiremos respeito aos compromissos assumidos e a independência deste Poder Legislativo”, disse, após eleito.

Na lista de decisões importantes para o novo presidente da casa, está votação de reformas que dividem opiniões, como a reforma e a administrativa. “Deverão ser enfrentadas com urgência, mas sem atropelo”, pontuou Pachedo.

Nos pronunciamentos antes e depois da eleição, o novo presidente do Senado também destacou seu interesse em discutir a PEC emergencial e a PEC do Pacto Federativo. Defendeu a vacinação para todos “de maneira imediata” ao sugerir a atuação baseada no tripé saúde pública, desenvolvimento social e crescimento econômico.

Pacheco foi eleito para presidir o Senado e o Congresso Nacional pelos próximos dois anos, com um amplo apoio político que passa pelo presidente Jair Bolsonaro, o ex- presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o PT. Ele venceu a candidata Simone Tebet (MDB-MS) e venceu por 57 votos a 21. Dos 81 senadores, três não compareceram à votação. Para ser eleito, é preciso votos de 41 senadores.